Flamengo demonstra arrogância e culpa Mundial por goleada sofrida

Campeão brasileiro, time do técnico Jorge Jesus não pareceu lidar bem com elogios e se perdeu ao justificar 4 a 0 para Santos, na Vila Belmiro

Gabigol, ex-Santos, teve boa atuação, mas não evitou derrota do Flamengo

Gabigol, ex-Santos, teve boa atuação, mas não evitou derrota do Flamengo

Luis Moura/Estadão Conteúdo - 8.12.2019

Saber perder é tão ou mais importante quanto ganhar. Diante do chocolate que levou do Santos neste domingo (8), o campeão Flamengo menosprezou a disputa da última rodada do Campeonato Brasileiro. Segundo Diego Alves e o próprio técnico Jorge Jesus, o foco do time não estava na Vila Belmiro, mas sim no Mundial de Clubes.

Por que então, o Rubro-Negro colocou praticamente o time inteiro titular?  Mais do que isso, por que jogou tanta bola contra o Palmeiras quando também já era campeão? Os sucessivos, e até justos, elogios fizeram mal aos comandados de Jesus e uma certa arrogância bateu após o resultado final. Isso para não falar no sinal de alerta para quando pegar o Liverpool.

“Nesse jogo, os jogadores já estavam pensando na semifinal. Não podemos deixar de dar méritos ao Santos, uma equipe que jogou, competitiva. Mas o Flamengo depois de ganhar tudo... Não há mais nada para ganhar no campeonato nacional, isso ficou no subconsciente deles”, disse o Mister. “Dos 11, cinco ou seis entraram em campo.”

“Não é um jogo que vai apagar o que a gente fez. Até acho estranho ficar perguntando sempre desse jogo. Você tem que ver a temporada como um todo”, chegou a dizer o goleiro Diego Alves.

Apenas com Rafinha poupado, o Flamengo foi para cima do Santos, sim. Natural não jogar no mesmo ritmo da campanha que rendeu a ele o título nacional, mas ninguém ali queria perder. E quem bom. Faz bem para o futebol. Ex-Santos, Bruno Henrique foi para cima dos zagueiros adversários e Gabigol até provocou sua antiga torcida. Não foram felizes na bola.

O Santos, vice-campeão Brasileiro com honras, é um ótimo time. Não está aos pés do Liverpool, provável adversário do Fla na final, mas impôs muita dificuldade. Jorge Sampaoli, com jogadores mais limitados tecnicamente que o rival, montou um esquema fulminante. Carlos Sánchez e Soteldo, de novo, tiveram excelente atuação e também merecem elogios.

O Flamengo, agora sim, deve se concentrar no Mundial de Clubes. O time estreia já na semifinal, contra o vencedor de Al Hilal (Arábia Saudit) e Espérance (Tunísia), em 17 deste mês, no Qatar. No dia seguinte, o Liverpool (Inglaterra) enfrenta o Monterrey (México) ou Al Sadd (Qatar) ou Hieghène (Nova Caledônia).

Curta a página de Esportes do R7 no Facebook

Tensão e violência no Mineirão marcam o rebaixamento do Cruzeiro