Fifa lança portal e promete transparência em casos disciplinares e de ética

A Fifa lançou nesta quinta-feira o seu "legal portal", voltado para questões disciplinares e de ética, e prometeu maior transparência na divulgação e no detalhamento destas informações. Evidências e discussões legais em casos de corrupção de dirigentes, manipulação de resultados e denúncias de racismo serão alguns dos pontos esclarecidos no portal, de acordo com a entidade máxima do futebol mundial.

"Ninguém mais poderá dizer que estas decisões são secretas", disse o secretário-geral interino da Fifa, Alasdair Bell. "Isso já deveria ter sido feito antes. O que gera suspeitas e teorias da conspiração é que as pessoas não sabem como as decisões são tomadas."

A Fifa tem longo histórico de recusa a fornecer detalhes sobre casos até que seja finalizado, em recursos decididos pela Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês) e pela Suprema Corte da Suíça. O objetivo do novo portal na internet é justamente divulgar as informações antes que alcancem estes estágios de decisão.

Segundo a Fifa, esta base de dados online vai incluir apelos e recursos da CAS nas quais a entidade seja citada. E disputas contratuais entre clubes, jogadores e treinadores. Com isso, o presidente da Fifa, Gianni Infantino, espera mudar a cultura legal da entidade. Para tanto, ele contratou ex-colegas da Uefa, da época em que dirigiu a entidade europeia, e advogados de escritórios conceituados.

Uma das exceções na divulgação destas questões legais serão aqueles chamados de "Plea bargain". Nestes casos, o investigado faz um acordo com as autoridades para reduzir sua eventual pena em troca de informações para os investigadores. Será uma forma de proteger as apurações relacionadas à Fifa.

"Com este novo site, a Fifa quer garantir a todas as partes o direito de obter informação fundamental que pode ser usada em diferentes procedimentos", registrou a entidade, em comunicado.