Futebol Empresário inglês paga R$ 8 bilhões e passa a controlar o futebol do Manchester United

Empresário inglês paga R$ 8 bilhões e passa a controlar o futebol do Manchester United

Jim Ratcliffe compra 25% das ações do clube e se torna acionista minoritário; bilionário também é dono de time na França

Reuters
Jim Ratcliffe em frente ao Old Trafford, sede do Manchester United

Jim Ratcliffe em frente ao Old Trafford, sede do Manchester United

Phil Noble/Reuters- 17.3.2023

O presidente do conselho de administração da Ineos, Jim Ratcliffe, tornou-se acionista minoritário do Manchester United, ao comprar uma participação de 25% por 33 dólares por ação, informou o clube neste domingo (24), após um processo de venda que durou mais de 12 meses.

A operação custou mais de de 1,25 milhão de libras (cerca de R$ 7,7 bilhões, na conversão de valores) para o empresário, segundo noticia a imprensa inglesa.

O xeque Jassim bin Hamad al Thani, do Catar, também pretendia comprar o clube, mas desistiu do processo, dizendo que não aumentaria a oferta de US$ 6 bilhões. Isso deixou o bilionário britânico livre para fechar o negócio com os proprietários do Manchester, a família Glazer.

A petroquímica Ineos, que também atua no segmento esportivo, assumirá a administração das operações de futebol do Manchester United e investirá US$ 300 milhões (R$ 1,4 bilhão, na conversão) no clube.

"Como parte da transação, a Ineos aceitou o pedido do conselho de administração para que lhe fosse delegada a responsabilidade pela gestão das operações de futebol do clube", disse o Manchester United em comunicado.

Clique aqui e receba as notícias do R7 Esportes no seu WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo Telegram
Assine a newsletter R7 em Ponto

"Isso incluirá todos os aspectos das operações de futebol masculino e feminino e das academias, além de dois assentos no conselho do Manchester United PLC e nos conselhos do Manchester United Football Club."

A Ineos, de Ratcliffe, é proprietária ainda do clube francês Nice, do clube suíço FC Lausanne-Sport e trabalha com o Racing Club Abidjan, da Costa do Marfim. A empresa também está por trás dos Grenadiers, uma das equipes de ciclismo mais bem-sucedidas do mundo.

Descubra quais são os dez casais mais ricos do mundo do futebol

Últimas