Copa do Mundo

Futebol Eliminatórias retornam após 6 meses e Argentina busca liderança

Eliminatórias retornam após 6 meses e Argentina busca liderança

A quinta e sexta rodadas das Eliminatórias seriam em março, mas, com o agravamento da pandemia, partidas foram adiadas 

Agência Estado - Esportes
Messi cumprimenta presidente da AFA

Messi cumprimenta presidente da AFA

AFA/EFE/26-05-21

Depois de quase seis meses de hiato, as Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo do Qatar serão retomadas nesta quinta-feira, com a disputa de quatro dos cinco jogos da sétima rodada do torneio antes da controversa Copa América, a ser realizada no Brasil. O duelo entre a vice-líder Argentina e o Chile, que precisa se recuperar na competição, é o destaque da rodada. Bolívia x Venezuela, Uruguai x Paraguai e Peru x Colômbia são os outros confrontos. A seleção brasileira joga na sexta diante do Equador.

A quinta e sexta rodadas das Eliminatórias seriam disputadas em março, mas no início daquele mês a Conmebol decidiu adiar as partidas em razão do agravamento da covid-19.

Na ocasião, a entidade argumentou que "a impossibilidade de contar com todos os jogadores sul-americanos a tempo" foi determinante para o adiamento das partidas, que ainda não têm datas definidas. A menção diz respeito às barreiras sanitárias impostas por vários países e as regras da Fifa que dão aos clubes o direito de não liberar jogadores a seleções que atuem em países onde a covid-19 não está controlada, caso do Brasil, por exemplo.

Mesmo com a pandemia ainda descontrolada em boa parte da América do Sul, a Conmebol nem pensou em adiar mais confrontos e as seleções entram em campo nesta quinta. A Argentina, liderada por Lionel Messi, é, ao lado do Brasil, as únicas seleções invictas na competição. Com dez pontos, fruto de três vitórias e um empate, o time do técnico Lionel Scaloni quer mais um triunfo para dormir na liderança. Já o Chile ocupa apenas a sexta colocação, com quatro pontos, e venceu somente uma partida até aqui, diante do Peru, por 2 a 0.

A partida no Estádio Único de Santiago del Estero opõe uma Argentina que tem jogado de forma pragmática, mas conseguido os resultados, e um Chile irregular e que precisa de ajustes para encaixar e engrenar nas Eliminatórias.

Lionel Scaloni, em coletiva, já adiantou a escalação da Argentina: Emiliano Martinez; Juan Foyth, Cristian Romero, Lucas Martínez Quarta, Nicolás Tagliafico; Leandro Paredes, Lucas Ocampos, Rodrigo De Paul, Ángel Di María; Lionel Messi e Lisandro Martínez.

Scaloni revelou que os testes do goleiro Armani e do lateral Montiel, que tiveram coronavírus em maio, voltaram a dar positivo. Como o governo da província de Santiago del Estero, onde será disputado o jogo, não permite a entrada de pessoas com PCR positivo, os dois jogadores do River Plate viraram desfalques. Além disso, o treinador indicou que Agüero não deve atuar porque a tendência é de que fique treinando para retomar a melhor condição física.

"Chegamos confiantes, com uma ideia clara. O rival é difícil e complicado, mas sabemos muito bem o que temos de fazer", disse o treinador da Argentina.

Já a seleção do Chile terá um importante desfalque: o meio-campista Arturo Vidal, que atua na Internazionale, precisou ser hospitalizado em Santiago após ter sido infectado pelo novo coronavírus.

A comissão médica da seleção chilena informou que Vidal apresentava um quadro febril. Horas depois, a Associação de Futebol Profissional (AFNP, na sigla em espanhol), que comanda o futebol no Chile, divulgou que ele testou positivo para a covid-19 no exame realizado na segunda-feira.

Vidal, que apresenta um quadro de amidalite pultácea severa, já havia sido isolado do resto do grupo, como medida preventiva adotada pela equipe médica. O Chile não apresentou outros quadros positivos do novo coronavírus nos testes de segunda-feira.

OUTROS JOGOS - Na abertura da sétima rodada, às 17h (de Brasília), a lanterna Bolívia, com apenas um ponto somado, aposta na altitude de La Paz para derrotar a Venezuela, oitava colocada, com três.

Mais tarde, às 19h, uruguaios e paraguaios se enfrentam em Montevidéu. Ambos somam seis pontos e estão colados na tabela, ocupando a quinta e quarta colocações, respectivamente.

O Uruguai não poderá contar com o meio-campista Arrascaeta. O jogador do Flamengo testou positivo para a covid-19 pela segunda vez. Mas a ausência dele nem deve ser a mais sentida, já que o atacante e ídolo Cavani também é baixa. Machucados, Darwin Núñez, Maxi Gómez e Christian Stuani também não estão disponíveis.

O trunfo da" "Celeste" é o grande momento que Suárez vive após conquistar o título da Liga Espanhola com o Atlético de Madrid. "Venho com muita vontade depois de terminar a temporada como fiz, com a satisfação ao máximo, curtindo muito o momento e feliz por voltar à seleção nacional", disse o artilheiro das Eliminatórias, com quatro gols.

No encerramento do dia, o Peru encara a Colômbia, que não terá seu principal jogador, James Rodríguez. Ele foi desconvocado pelo técnico Reinaldo Rueda, que entendeu que o meio-campista do Everton não está na forma física ideal. Os peruanos somam apenas um ponto e amargam o penúltimo lugar, enquanto que os colombianos aparecem no sétimo posto, com quatro.

Saiba quem são os jogadores mais valiosos da Libertadores

Últimas