Logo R7.com
Logo do PlayPlus
BRASILEIRO 2022
Publicidade

​Djalminha e Cafu defendiam o Palmeiras pela última vez em 1997

Há 25 anos acontecia o Choque-Rei da despedida do lateral e do meia no Morumbi; ídolos estavam no título do Paulistão de 1996

Futebol|Do Live Futebol BR


Cafu (em pé) 2º da esquerda para direita e Djalminha (agachado) 2º da direita para a esquerda
Cafu (em pé) 2º da esquerda para direita e Djalminha (agachado) 2º da direita para a esquerda

O Palmeiras que acaba de fazer a melhor campanha da história da primeira fase da Libertadores, neste 25 de maio, só que, de 1997, Cafu e Djalminha defendiam pela última vez às cores verde e branca.

O lateral-direito com a camisa do Verdão realizou 102 partidas e anotou 16 gols. Já o meia balançou as redes rivais em 50 oportunidades em 90 jogos pelo Alviverde e fez parte do ataque dos 102 tentos campeão Paulista de 1996 assim como do capitão do pentacampeonato do Brasil em 2002.

Há 25 anos, o jogo da despedida deles era justamente um clássico. O confronto era um Choque-Rei, pelo estadual, que apesar do mando do Palmeiras, era no Morumbi, estádio do São Paulo. O resultado não agradou em nada os palmeirenses que foram goleados pelo rival por 4 a 1.

O gol de honra do Verdão, também, está fazendo aniversário nesta quarta-feira (25), afinal foi primeiro gol feito pelo ex-zagueiro e jogador Roque Júnior, com a camisa do clube.

Publicidade

FICHA TÉCNICA (1997)

Palmeiras 1 x 4 São Paulo 

Publicidade

Local: Morumbi, São Paulo.Público e renda: 35.556 / R$ 413.210,00

Data e hora: domingo (25/5), às 16h

Publicidade

Árbitro: Cláudio Vinícius Cerdeira (SP)

Cartões amarelo: Sandro Blum e Djalminha (Palmeiras); Rogério Pinheiro (São Paulo)

Cartão vermelho: Galeano, aos 42’ 2º/T (Palmeiras)

Gols: Aristizábal, aos 24’ 1º/T, 15’ 2º/T e 32’ 2º/T e Dodô, aos 24’ 2º/T (São Paulo); Roque Junior, aos 46’ 2º/T (Palmeiras)

PALMEIRAS: Velloso; Cafu, Sandro Blum (Wagner), Roque Júnior e Júnior; Galeano, Sérgio Soares, Rogério (Neto) e Rincón; Djalminha e Edmilson (Leandro Ávila). Técnico: Márcio Araújo.

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Cláudio, Rogério Pinheiro, Bordon e Serginho (Fábio Aurélio); Axel (Álvaro), Belletti (Edmílson), Luís Carlos Matos e Denílson; Aristizábal e Dodô. Técnico: Darío Pereyra.

Roland Garros também é um desfile de moda com roupas chamativas

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.