Futebol Daniel Alves admite que mentiu à Justiça e confirma pela 1ª vez sexo em caso estupro em boate

Daniel Alves admite que mentiu à Justiça e confirma pela 1ª vez sexo em caso estupro em boate

Preso na Espanha há três meses, jogador disse que escondeu a verdade por medo da reação da mulher durante novo depoimento

  • Futebol | Do R7, com EFE

Daniel Alves está preso há três meses em Barcelona

Daniel Alves está preso há três meses em Barcelona

EFE/ Francisco Guasco - 03.09.2022

O jogador Daniel Alves, que está preso em Barcelona (Espanha) após ser acusado de estuprar uma mulher de 23 anos em uma boate, prestou um novo depoimento à Justiça espanhola nesta segunda-feira (17).

À juíza que cuida do caso, admitiu que mentiu sobre as relações sexuais em sua primeira declaração para esconder sua infidelidade da própria mulher. Supostamente, temia pela reação dela.

Alves disse que houve relação sexual com penetração, mas afirmou novamente que a relação foi consentida.

Inicialmente, quando foi acusado de ter estuprado a jovem numa casa noturna em Barcelona no dia 30 de dezembro passado, o jogador negou toda a história. 

Mais tarde, em fevereiro último, depois da apresentação de provas de material biológico mostrando que havia sêmen de Daniel nas partes íntimas da jovem, o atleta mudou sua versão e disse que houve mesmo sexo, mas que a relação foi consentida.

Desde o início do caso, o jogador brasileiro chegou a dar três outras versões para a história. Logo no começo, ele disse que "não conhecia a jovem". Depois, admitiu que "houve toque". Na terceira versão Daniel informou que "houve sexo oral". Apenas na quarta oportunidade é que admitiu que houve sexo.

Segundo fontes judiciais, o jogador, que está em prisão preventiva desde 20 de janeiro, prestou depoimento hoje por cerca de meia hora, pela segunda vez e a pedido próprio, perante a juíza do Tribunal de Instrução número 15 de Barcelona, que o investiga pelo suposto estupro.

Daniel Alves na cadeia

O estupro do qual Daniel Alves é acusado, e pelo qual está preso desde o dia 20 de janeiro, aconteceu no banheiro da casa noturna Sutton. Assim que houve a agressão, a jovem avisou suas amigas que também estavam na casa noturna e pediu ajuda aos funcionários.

A polícia foi chamada, e ela passou por exames médicos na madrugada do dia 31 de dezembro, que já comprovaram a penetração vaginal. Além disso, a jovem tinha marcas de mordidas, arranhões e hematomas pelo corpo.

No dia 2 de janeiro, a mulher fez queixa de estupro na polícia de Barcelona. No dia 20 de janeiro, o atleta foi chamado a prestar depoimento, quando foi anunciada sua prisão preventiva, sem fiança, porque a juíza alegou que o jogador tinha condições de fugir da Espanha.

O advogado de Daniel já tentou sua liberdade provisória, mas a Justiça espanhola negou. Em um desdobramento do caso, a modelo Joana Sanz, então casada com o atleta, entrou com um pedido de divórcio em março.

Daniel Alves: confira, em fotos, o caso que mantém o jogador preso há quase dois meses:

Últimas