Copa do Mundo Jogadores do Irã enviam condolências às famílias de vítimas em manifestações no país 

Jogadores do Irã enviam condolências às famílias de vítimas em manifestações no país 

Onda de protestos foi desencadeada pela morte da jovem Mahsa Amini, presa pela polícia da moral por violar código de vestimenta

AFP

Resumindo a Notícia

  • Goleiro substituto e atacante manifestaram a sua 'solidariedade'
  • Autoridades iranianas prenderam mais de 15 mil manifestantes, segundo ONGs
  • Vários jogadores da seleção iraniana expressaram seu apoio ao levante nas redes sociais
  • Eles usam braçadeiras pretas durante as partidas ou se recusando a cantar o hino nacional
O meio-campista iraniano Vahid Amiri e o goleiro Hossein Hosseini em coletiva, em Doha

O meio-campista iraniano Vahid Amiri e o goleiro Hossein Hosseini em coletiva, em Doha

Fadel Senna/AFP - 19.11.2022

Dois jogadores iranianos que vão participar do Mundial do Qatar enviaram, neste sábado (19), suas condolências às famílias das vítimas que morreram nos protestos violentos que ocorrem no país e manifestaram "a sua solidariedade".

"Gostaria que soubessem que estamos ao seu lado", disse o goleiro substituto Hossein Hosseini em entrevista coletiva em Doha, dois dias antes do Irã estrear no torneio contra a Inglaterra, correspondente ao grupo B.

Por sua vez, o atacante Vahid Amiri, que joga no campeonato iraniano como Hosseini, também expressou sua "solidariedade às famílias que perderam seus entes queridos".

Os protestos no Irã foram desencadeados em 16 de setembro pela morte de Mahsa Amini, uma iraniana curda de 22 anos presa pela polícia da moral por violar o rígido código de vestimenta da República Islâmica.

Depois de denunciar que os "motins" foram orquestrados por forças estrangeiras, as autoridades lançaram uma repressão mortal, que já fez centenas de vítimas, segundo as ONGs. Além disso, prenderam mais de 15 mil manifestantes, segundo outras organizações, vários deles condenados à morte.

Vários jogadores da seleção iraniana expressaram seu apoio ao levante nas redes sociais, usando braçadeiras pretas durante as partidas ou se recusando a cantar o hino nacional.

A estrela do 'Team Melli', Sardar Azmoun, manifestou seu apoio ao movimento de protesto em diversas mensagens nas redes sociais e denunciou a repressão em seu país.

De Willie a La'eeb: relembre mascotes das Copas do Mundo

Últimas