Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Festa na Argentina tem invasão do Obelisco, prisões e torcedores feridos

Comemorações terminaram na noite de terça-feira; pontos de ônibus e estabelecimentos comerciais foram destruídos 

Copa do Mundo|

Torcedor subiu no topo do Obelisco e balançou a bandeira da Argentina na comemoração do tricampeonato
Torcedor subiu no topo do Obelisco e balançou a bandeira da Argentina na comemoração do tricampeonato Torcedor subiu no topo do Obelisco e balançou a bandeira da Argentina na comemoração do tricampeonato

A aglomeração de cerca de 5 milhões de pessoas para acompanhar o desfile da seleção argentina pelas ruas de Buenos Aires, na terça-feira (20), dava sinais desde o início do dia que não terminaria bem. Sem poder ver de perto os campeões mundiais na região do Obelisco, situado na praça da República, perto da avenida 9 de Julho, torcedores invadiram o monumento. Policiais entraram em ação para retirar os argentinos do local e houve confusão. Ao menos 14 pessoas foram detidas, 21 integrantes das forças de segurança ficaram feridos e outros 64 torcedores tiveram de ser levados para hospitais.

De acordo com o jornal argentino La Nación, o ambiente no entorno do Obelisco já estava pacificado no fim da noite de terça. Serviços de limpeza começaram a ser feitos no local. Ainda não foram contabilizados os prejuízos causados pela festa, mas imagens mostram destruição de pontos de ônibus e de alguns estabelecimentos comerciais.

As forças de segurança relataram também a ocorrência de roubos, furtos e saques na região central de Buenos Aires. Há relatos de pessoas que se perderam em meio à multidão e precisaram ser acolhidas pelo Centro de Monitoramento Urbano da capital argentina. A polícia atendeu a cerca de 795 chamadas para atendimentos médicos e buscas por informações de pessoas perdidas.

Entre as 14 pessoas detidas pela polícia, quatro delas estavam dentro do Obelisco. Um deles chegou a se pendurar no topo do monumento. As forças de segurança precisaram agir para retirar os invasores do local. Foi nesse momento que a confusão começou. Pedras e garrafas foram atiradas na direção dos policiais, que revidaram com bombas de gás lacrimogêneo e tiros com balas de borracha.

Publicidade

A seleção argentina previa se deslocar do Centro de Treinamento da Associação do Futebol Argentino (AFA), na região de Ezeiza, perto do aeroporto, para a região central de Buenos Aires, em um desfile em carro aberto para saudar os torcedores com a taça da Copa do Mundo.

A expectativa era de chegada da delegação às 12h30 na praça da República. No entanto, a concentração de pessoas foi tão grande que o ônibus que levava Lionel Messi e companhia precisou mudar de rota. Os jogadores foram retirados de helicóptero e levados de volta ao Centro de Treinamento. Messi e Di María, por exemplo, prontamente se deslocaram para Rosario, cidade natal de ambos.

Publicidade

O presidente da AFA, Claudio Tapia, pediu desculpas aos torcedores que foram até o local para saudar os campeões mundiais. "Não nos deixaram chegar para cumprimentar todas as pessoas que estavam no Obelisco. Os mesmos órgãos de segurança que nos escoltaram não nos deixaram seguir em frente. Mil desculpas em nome de todos os jogadores campeões do mundo. Uma pena", publicou em sua conta nas redes sociais.

Argentina em festa! Torcedores tomam as ruas de Buenos Aires para comemorar tri mundial

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.