Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Apesar das lesões e cansaço, Marrocos promete não se render contra a França

Seleção tenta lidar com esgotamento físico e se adaptar às perdas, por exemplo, do capitão Romain Saiss, que saiu de maca do jogo contra Portugal

Copa do Mundo|

Time enfrenta cansaço após prorrogação contra a Espanha e disputa acirrada com Portugal
Time enfrenta cansaço após prorrogação contra a Espanha e disputa acirrada com Portugal Time enfrenta cansaço após prorrogação contra a Espanha e disputa acirrada com Portugal

Admirados pela campanha histórica no Catar, os marroquinos estão com a faca nos dentes já esperando a semifinal da Copa do Mundo contra a França, que será disputada na próxima quarta-feira (14), apesar das lesões e do cansaço do elenco.

"Sentimos dores mas vamos nos preparar, não temos escolha", conta o incansável meia Sofyan Amrabat, que começou o jogo (contra Portugal, vitória por 1 a 0) "sem estar 100%, mas é preciso dar tudo e lutar até o final".

"Já estávamos cansados depois dos 120 minutos contra a Espanha [0 a 0 após a prorrogação, vitória por 3-0 nos pênaltis pelas oitavas de final]", acrescenta o jogador da Fiorentina, uma das revelações deste Mundial por sua voluntariedade inesgotável.

Contra os portugueses, nas quartas de final, o técnico Walid Regragui tinha "perdido dois jogadores importantes: [Nayef] Aguerd e [Noussair] Mazraoui. Mas os que entraram fizeram um trabalho extraordinário."

Publicidade

Ambos podem não estar recuperados a tempo para as semifinais. Jawad El Jamiq e Yahya Attiat Allah deverão continuar ocupando suas vagas contra a França.

Provavelmente sem Aguerd nem Saiss

O treinador marroquino provavelmente também perdeu outra peça de seu sistema defensivo, o capitão Romain Saiss, que teve que ser substituído e saiu de maca contra Portugal.

Publicidade

"Minha coxa, vamos ver. Vamos fazer exames", explicou Saiss, que revelou ter "jogado com uma perna durante 55 minutos" nas quartas de final.

Ele levou a mão à parte posterior da coxa no momento do forte chute de Bruno Fernandes por cima do gol (minuto 45). "Já estava com dores antes do jogo", disse.

Publicidade

O zagueiro do Besiktas, da Turquia, continua acreditando em suas chances de recuperação: "Vou fazer de tudo para estar lá", promete. "Quero ajudar minha equipe, mas há momentos nos quais é preciso ser razoável e não ser um peso só por orgulho pessoal."

Sem Aguerd nem Saiss, Regragui deverá jogar com sua defesa reserva, escalando Achraf Dari e El Yamiq. Este último teve uma atuação sólida nas oitavas, mas Dari pode ter mais problemas para parar o trio de ataque francês, formado por Kylian Mbappé, Olivier GIroud e Ousmane Dembelé.

Espírito de luta

Mas o Marrocos tem a melhor defesa desta Copa do Mundo, com um único gol sofrido, no duelo da fase de grupos com o Canadá (vitória por 2 a 1), sendo este marcado por Aguerd contra a própria meta.

Pouco importam os nomes, "defendemos com espírito de luta, em equipe", destaca Sofyan Amrabat. "No futebol, as individualidades fazem a diferença, mas são as equipes que ganham jogos."

Contra os portugueses, "voltamos a dar tudo, jogamos com o coração", comenta Selim Amallah. "Sabemos que amanhã teremos que começar a trabalhar para o próximo jogo", contra a França. Mas "não temos medo de ninguém", avisa.

Neymar, Mbappé, Messi: confira quem são os candidatos ao prêmio de melhor jogador da Copa

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.