Copa do Mundo Ao lado de Infantino, ministra da Alemanha usa braçadeira proibida pela Fifa

Ao lado de Infantino, ministra da Alemanha usa braçadeira proibida pela Fifa

A Federação Alemã disse que foi 'chantageada' para que desistisse de usar a braçadeira em solidariedade à comunidade LGBTQIAP+

Lance

Lance

A ministra do Esporte da Alemanha, Nancy Faeser, usou a braçadeira com a expressão "One Love" na tribuna do estádio internacional Khalifa durante a abertura do jogo entre a Alemanha e o Japão. A autoridade alemã estava sentada ao lado de Gianni Infantino, presidente da Fifa, entidade que proibiu o uso do adereço pelos capitães das seleções, incluindo Manuel Neuer.

A imprensa europeia afirmou que Neuer usaria a braçadeira "One Love" mesmo com a restrição promovida pela Fifa, que penalizaria com cartão amarelo o jogador que insistisse em seu uso. O goleiro alemão costuma ostentar o adereço em partidas da seleção, mas na hora do jogo apareceu com uma braçadeira em que estava escrito "No Discrimination'" (sem discriminação). 

Neuer - Alemanha

Neuer - Alemanha

Lance

A Alemanha também fez um protesto dentro de campo. Os jogadores posaram para a foto oficial da partida colocando a mão na boca, uma critica ao país-sede da Copa, que trata as relações homoafetivas como crime e não está permitindo o uso de adereços com as cores do arco-íris pelos torcedores.

A Federação Alemã de Futebol (DFB) declarou na terça-feira que foi "chantageada" pela Fifa para que desistisse de usar a braçadeira em solidariedade à comunidade LGBTQIAP+ nos jogos da Copa do Mundo — uma mudança de postura que rendeu diversas críticas.

"Não nos ajoelhamos diante da Fifa. Compreendemos o desapontamento e a indignação. Fomos submetidos a uma chantagem extrema com a qual pensamos que tínhamos de tomar essa decisão, embora não quiséssemos tomá-la", informou o diretor de comunicações da DFB, Steffen Simon, à rádio Deutschlandfunk.

Nancy Faeser ao lado do presidente da Federação Alemã de Futebol (DFB), Bernd Neuendorf

Nancy Faeser ao lado do presidente da Federação Alemã de Futebol (DFB), Bernd Neuendorf

Ronald Wittek/EFE

A Alemanha, juntamente com outras seis seleções, tinha anunciado que usaria uma braçadeira com um coração e diversas cores como parte da campanha "One Love". No entanto, após a Fifa ter anunciado sanções desportivas, as sete federações voltaram atrás nessa decisão, suscitando duras críticas no país.

"As federações aceitariam multas. Mas querem evitar consequências esportivas, como um cartão amarelo. Para elas, a braçadeira tinha menos valor do que uma falta tática no meio do campo", escreveu o semanário Die Zeit.

Na noite passada, a televisão pública alemã ARD — que tem os direitos da Copa do Mundo juntamente com a ZDF — emitiu um comentário sobre como melhor para a Alemanha "perder pontos e ser eliminada na fase de grupos com a braçadeira do que ser campeã mundial sem a braçadeira".

Últimas