Logo R7.com
Logo do PlayPlus
BRASILEIRO 2022
Publicidade

Estádios da Copa receberam quase 3,5 milhões de torcedores

No total, 1.015.035 de turistas estrangeiros vieram ao Brasil para assistir aos jogos do torneio

Copa do Mundo 2014|Marcelo Brandão e Mariana Tokarnia, da Agência Brasil

Maracanã ficou lotado para final entre Alemanha e Argentina
Maracanã ficou lotado para final entre Alemanha e Argentina Maracanã ficou lotado para final entre Alemanha e Argentina

A Copa do Mundo do Brasil levou 3.429.873 pessoas aos estádios das 12 cidades-sede durante o megaevento esportivo. Desse total, 1.432.463 eram estrangeiras, segundo balanço apresentado hoje (14) pelo governo. Nas Fan Fests, eventos organizados em parceria com a Federação Internacional de Futebol (Fifa), o público chegou a 5,1 milhões de pessoas durante o Mundial.

No total, 1.015.035 de turistas estrangeiros vieram ao Brasil para assistir aos jogos do torneio, de acordo com o governo. O ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante, comemorou a organização e os resultados do evento, apesar do quarto lugar da seleção brasileira na competição.

“Se a gente fizer uma análise mais sóbria, nós perdemos a taça, mas o Brasil ganhou a Copa, porque o mundo inteiro admirou. A razão mais profunda é porque o futebol está na alma do nosso povo. O Brasil soube ganhar, soube perder e soube festejar, com um clima altamente receptivo, que encantou o mundo”, avaliou.

O ministro citou como exemplo de resultado positivo da Copa, o aumento da capacidade aeroportuária do país em 52%, cerca de 67 milhões de passageiros por ano. Os investimentos realizados no setor chegaram a R$ 8,78 bilhões, superando a estimativa de R$ 6,28 bilhões. A justificativa do governo é que houve antecipação de investimentos privados, advindos das concessões. “Imagina o que podemos fazer na Olimpíada depois do que já fizemos na Copa do Mundo”, comparou.

Publicidade

O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, que também participou da entrevista para apresentar a avaliação do governo sobre a Copa, rebateu as críticas feitas ao atraso da construção de estádios durante a preparação para Mundial. “Tínhamos um acompanhamento rigoroso da evolução das obras. No caso dos estádios, isso era feito a cada mês”, disse. Esse acompanhamento, segundo ele, dava segurança ao governo sobre a conclusão das obras em tempo hábil.

Rebelo lembrou e lamentou a morte de operários nas construções e de dois jornalistas estrangeiros durante a Copa, os argentinos Jorge Luiz López e María Soledad Fernández, vítimas de acidentes automobilísticos.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.