Com pênalti polêmico no Horto, Furacão bate o Galo e ajuda o Corinthians

Árbitro Marcelo de Lima Henrique foi vaiado pela torcida mineira por marcações

Coube ao Atlético-PR encerrar o jejum de 38 jogos do Atlético-MG na Arena Independência em julho de 2013. Furacão que já havia vencido o Galo no primeiro turno deste Campeonato Brasileiro e, na noite desta quarta-feira, voltou a triunfar sobre o Alvinegro no Horto. Em jogo que teve o árbitro Marcelo de Lima Henrique como protagonista e válido pela 22ª rodada do Campeonato Brasileiro, o Rubro-Negro paranaense foi eficaz, fez 1 a 0 sobre o xará. Walter, em pênalti polêmico, foi o autor do gol.

Classificação e jogos

Com a derrota, o Galo pode ver o líder Corinthians ampliar a sua vantagem na liderança do Brasileirão, pois segue com 42 pontos. No sábado, o rival da vez será o Vasco, o 20º e último colocado, no Maracanã. Já o Atlético-PR, agora com 36, pode terminar a rodada fechando o G4. O Furacão terá o Joinville, sábado, como próximo adversário. O duelo será na Arena da Baixada.

A escalação ofensiva do Galo com apenas Leandro Donizete deixou cristalina a opção de Levir Culpi em envolver o perigoso Atlético com a intensa movimentação do eficaz sistema ofensivo alvinegro. A ideia, na teoria, foi boa. No entanto, faltou objetividade ao Galo durante boa parte do primeiro tempo. A primeira boa chance só veio aos 33. Contra-ataque pela direita, sobra para Thiago Ribeiro e bola no travessão após Deivid desviar. Pouco depois, Jemerson, sem marcação, não conseguiu o cabeceio ideal. Ainda houve a finalização de Pratto à direita de Weverton e defesa do camisa 12 após cabeçada do argentino.

O Atlético, sem Nikão e Walter entre os titulares, teve boa chance logo no começo com Ewandro e, contando com a falta de atenção rival representou perigo para o gol de Victor. Faltou, no entanto, mais tranquilidade para os comandados de Milton Mendes aproveitarem as chances oferecidas por um instável Galo em seu campo de defesa. Furacão que perdeu o zagueiro Kadu logo aos 18 minutos. Após choque de cabeça com Sidicley, ele precisou ser substituído e, depois, levado a um hospital (ele não corre perigo). O Atlético Mineiro tardou para envolver o Furacão, foi merecedor da vitória na etapa inicial - sendo prejudicado com a marcação incorreta de dois impedimentos -, perdeu Marcos Rocha em expulsão controversa por reclamação, mas não conseguiu transpor Weverton em um bom primeiro tempo.

Mesmo com um a menos em campo, o Galo, já com o estreante Mansur na lateral esquerda, o que garantiu Patric na direita, tratou de pressionar o seu xará nos primeiros minutos. Pratto, sempre ele, deixou a marcação do Furacão atenta. Eis que, aos 11 minutos, veio o lance mais polêmico do jogo. Após investida pela direita, Ewandro se chocou com Victor dentro da área. Marcelo de Lima Henrique marcou pênalti, causando certa surpresa até entre os jogadores do Rubro-Negro paranaense. Walter, que havia ingressado na vaga de Dellatorre, cobrou com força e fez Furacão 1 a 0, aos 12.

O nervosismo aumentou no Atlético Mineiro. Diante de um rival bem postado em campo e em vantagem numérica, o Galo encontrou dificuldades para chegar ao gol de Weverton. O Furacão, por sua vez, teve ótima chance com Walter, após contra-ataque, mas não ampliou. Apoiado pela torcida, que reconhecia o eforço dos comandados de Levir, o Alvinegro teve boa chance com Luan, aos 45. Mas não era o dia do vice-líder do Brasileirão, que teve até o goleiro Victor como atacante nos minutos finais. Melhor para o Furacão.

Assista aos programas da Record na íntegra no R7 Play

Acompanhe a página de Esportes do R7