Campeonato Paulista Vítor Pereira descarta falta de vontade e critica arbitragem

Vítor Pereira descarta falta de vontade e critica arbitragem

Treinador português perdeu seu segundo jogo em três partidas no comando do Corinthians

Técnico Vitor Pereira sorri em entrevista coletiva

Técnico Vitor Pereira sorri em entrevista coletiva

Rodrigo Coca / Agência Corinthians

O técnico Vítor Pereira reconheceu que o Corinthians teve dificuldades para enfrentar o Palmeiras, na derrota de 2 a 1, na noite desta quinta-feira (17), no Allianz Parque, em jogo atrasado pelo Paulistão. No entanto, em entrevista coletiva após o clássico, o comandante ressaltou que não faltou vontade de seus atletas em campo e criticou o critério da arbitragem.

"Vontade acho que não faltou. Tivemos dificuldades de se adaptar a um gramado diferente do nosso. Um adversário que tentou, principalmente na primeira etapa, pressionar alto, marcar forte e ser agressivo. Um árbitro... Sinceramente eu não gosto de criticar os árbitros. Todos erramos, eu também erro como treinador. Temos direito a errar e corrigir nossos erros. Agora, um critério para mim um pouquinho diferente, deixando jogar com uma agressividade, para mim, no limite. Se determinadas situações de jogo fossem amareladas, o Palmeiras não jogaria daquela forma agressiva que jogou e que nos limitou. Mas não gosto de me apoiar nos árbitros como desculpa", afirmou.


Foi o terceiro jogo de VP no comando do Timão, com uma vitória e duas derrotas. Perguntado sobre falhas individuais, preferiu não apontar ninguém.

"Não sou treinador para atribuir derrotas a falhas individuais. Vencemos juntos e perdemos juntos. Estamos num processo de construção de determinada forma de jogar. O processo tem que ser em qualidade, é natural, estamos com duas semanas de trabalho, é por falta de tempo de trabalho que naturalmente o time não está no nível que pretendemos".

O técnico do Timão diz saber o peso de perder um clássico, mas citou o pouco tempo no comando do clube para as derrotas contra São Paulo (1 a 0) e Palmeiras (2 a 1).

As pessoas criam a expectativa. Em duas semanas de trabalho... Não há. Eu acredito no trabalho, não em varinhas mágicas

Vítor Pereira - técnico do Timão

"Eu vou ter que relembrar vocês, de novo, que jogamos o clássico com o São Paulo com três dias de treino (risos). E eu não sou mágico. Eu acredito no meu trabalho. E depois, com um pouquinho de azar, pegamos dois clássicos seguidos. Não fui muito feliz no calendário. Mas foi como foi. Estamos comparando um trabalho de dois anos do Abel no Palmeiras, com um trabalho de duas semanas do Vítor Pereira no Corinthians. São coisas incomparáveis. Em duas semanas de trabalho, é impossível preparar uma equipe para jogar em um nível alto, em um nível muito alto. Temos que ter os pés no chão. Não sou eu quem crio onda, são vocês que criam as expectativas. As pessoas criam a expectativa. Em duas semanas de trabalho... Não há. Eu acredito no trabalho, não em varinhas mágicas", completou.

Pela primeira vez desde 2014, o Corinthians encerra a 1ª fase do Campeonato Paulista sem vencer nenhum dos três rivais. Neste domingo (20), a equipe faz a última partida pelo estadual, antes do mata-mata. O adversário será o rebaixado Grêmio Novorizontino, às 16h, em Novo Horizonte.

Últimas