Campeonato Paulista Sonho do Inter, Nikão revela 'negociação rápida' com São Paulo

Sonho do Inter, Nikão revela 'negociação rápida' com São Paulo

No Tricolor Paulista, atacante vai vestir a camisa 10 que já foi de Raí, Zizinho, Pedro Rocha e Hernanes: 'Sou um cara privilegiado'

Apresentado oficialmente no São Paulo na tarde desta quinta-feira (20), o atacante Nikão revelou que a agilidade do clube do Morumbi foi essencial para o acerto logo após a divergência contratual que teve com o Internacional, clube que tentou tirá-lo do Athletico-PR.

“Foi uma coisa que aconteceu muito rápido, foram poucos minutos que eu resolvi. Deu
tudo certo de vir pro São Paulo, uma oportunidade única, onde muitos querem estar. Comigo
não é diferente. Quando apareceu a proposta não pensei duas vezes em aceitar, por
entender a grandeza do clube. Foi algo que me induziu, chamou a atenção”, explicou.

Nikão vestirá a camisa número 10 no São Paulo

Nikão vestirá a camisa número 10 no São Paulo

Rubens Chiri / saopaulofc.net (20/01/2022)

Durante sua apresentação, o jogador recebeu a camisa 10 das mãos do presidente Julio Casares e dos diretores Rui Costa e Carlos Belmonte.

“Uma camisa que grandes craques tiveram a honra de vestir. Sou um cara privilegiado de vestir a camisa 10, como Raí, Zizinho, Pedro Rocha, Hernanes. Tem uma história muito grande no clube, sei que é uma grande responsabilidade. Venho para fazer meu trabalho. É um clube de torcida apaixonante”, afirmou.

Campeão da Copa Sul-Americana com o Furacão no ano passado, o novo 10 são-paulino sabe da importância e da pressão que o Tricolor vive por títulos, mesmo com a conquista do Paulistão em 2021.

“Vim preparado para tudo isso. Desafio novo na vida. Aprendi uma frase: ‘Quanto mais
é dado, mais é cobrado’. Por mais que você tenha ganhado grandes títulos, como no Athletico, tinha cobrança grande lá. Claro que São Paulo tem outra dimensão, torcedor está carente de títulos expressivos, mas estou preparado”, completou.

Nikão assinou contrato com o São Paulo por três temporadas, ou seja, até o final de 2024.

Da festa até a condenação: relembre o caso Robinho

Últimas