Campeonato Paulista Contestado pela torcida, Barros já trouxe 15 reforços para o Palmeiras

Contestado pela torcida, Barros já trouxe 15 reforços para o Palmeiras

O diretor de futebol chegou ao Verdão no fim de 2019 e acaba de renovar seu vínculo com o clube paulista até dezembro de 2022

Anderson Barros tem contrato até dezembro de 2022 com o Palmeiras

Anderson Barros tem contrato até dezembro de 2022 com o Palmeiras

Cesar Greco/Palmeiras

Alvo de críticas de torcedores do Palmeiras nas redes sociais, o diretor de futebol Anderson Barros entra em seu terceiro ano no clube acumulando 15 contratações e tendo o respaldo da diretoria.

Desde que assumiu a posição antes ocupada por Alexandre Mattos, que ficou no Verdão até dezembro de 2019, o ex-diretor do Botafogo é elogiado internamente.

Contratado com a missão de equacionar a área financeira após os gastos de 2015 a 2019, Barros teve seu vínculo renovado para mais um ano (dezembro de 2022) – muito pelo fato de ser elogiado por não fazer gastos exorbitantes e conseguir oportunidades de mercado que sejam satisfatórias para o clube e a comissão técnica.

Ainda que não tenha conseguido contratar o camisa 9 desejado pela torcida para a disputa do Mundial de Clubes, o gestor tem a confiança da presidente Leila Pereira. Eleita em novembro de 2021, a primeira mulher a comandar o Palmeiras deixou claro que Barros seguiria tomando conta do futebol profissional.

"Como alterar uma equipe tão vencedora? São pessoas competentes, que lutam juntas para que o Palmeiras seja vitorioso. Todos ficam para 2022", disse Leila, em dezembro de 2021, durante sua primeira entrevista como mandatária.

Criticado por torcedores, Anderson Barros foi quem trouxe o técnico português Abel Ferreira, que assumiu o lugar de Vanderlei Luxemburgo, campeão paulista, e guiou o Verdão a uma tríplice coroa em 2020 (com a Copa do Brasil e a Libertadores) e um bicampeonato consecutivo da Libertadores num período de dez meses. O treinador, inclusive, participou da reunião que definiu a continuidade do diretor para mais uma temporada.

Nada que seja motivo de surpresa, tendo em vista a admiração já declarada pelo treinador. Ao vencer o Flamengo na decisão da Libertadores no ano passado, Abel agradeceu toda sua comissão técnica e fez questão de elogiar o trabalho de Barros.

"Gostaria de agradecer estas pessoas que estão atrás de mim (comissão). Ao João, Martinho, Castanheira, Andrey, Rogério, Thales e duas pessoas que foram fundamentais: o Cícero e o Anderson Barros, que é o diretor esportivo mais incrível [com] que trabalhei. A Leila está em dúvidas e eu não tenho, ele deve ser o diretor esportivo do Palmeiras. Ele teve um trabalho absolutamente extraordinário. Ajudou muito, soube sempre ser sério e dizer aos jogadores o que ia passar. É uma honra trabalhar com o grande homem que ele é", disse o português.

Além do próprio treinador, chegaram sob a gestão de Barros os laterais Viña (vendido à Roma, da Itália), Piquerez e Jorge. Os zagueiros Kuscevic e Alan Empereur e os volantes Danilo Barbosa e Matheus Fernandes também estão na lista.

Todos jogadores que chegaram por empréstimo ou com valor de mercado considerado baixo por seus superiores dentro do clube. A estratégia adotada é clara: planejar gastos altos apenas com atletas que possam trazer retorno financeiro gradual ao Palmeiras no futuro.

Foi assim que chegaram ao Palestra os atacantes Rony e Breno Lopes. Esse último ficou marcado na história do Alviverde como herói da Libertadores de 2020, quando marcou o gol decisivo contra o Santos, aos 95 minutos do segundo tempo após assistência de Rony.

Para iniciar a temporada 2022, o Palmeiras investiu apenas em jovens jogadores, sem ter custos, apenas com salários pagos pelo clube ou em transações consideradas dentro da realidade financeira que é de superávit.

A exceção na idade foi o goleiro Marcelo Lomba, de 35 anos, que veio do Internacional em final de contrato. Tirando o arqueiro, chegaram o meia Atuesta (R$ 20,7 milhões), o centroavante Rafael Navarro (sem custos), o volante Jailson (sem custos) e, por último, o zagueiro Murilo (R$ 15,5 milhões).

Resta, no entanto, um centroavante "de peso" tão desejado pela torcida e pedido por Abel. Às vésperas do Mundial de Clubes, Anderson Barros corre contra o tempo. O Palmeiras tem até a próxima segunda-feira, dia 24, para enviar a lista de inscritos à Fifa.

Zizao, Barcos, Love… Relembre as estrelas do mercado 10 anos atrás

Últimas