Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Torcedores do Valencia denunciam Ancelotti no MP por defender Vini Jr. em caso de racismo

Ministério Público espanhol acatou pedido, e treinador será alvo de apuração por comentários feitos após o brasileiro ser alvo de insultos preconceituosos

Futebol|

Carlo Ancelotti vira alvo do MP espanhol
Carlo Ancelotti vira alvo do MP espanhol Carlo Ancelotti vira alvo do MP espanhol

Carlo Ancelotti, técnico do Real Madrid e acertado com a CBF para assumir a seleção brasileira, virou alvo de uma apuração do Ministério Público da Espanha por ter chamado a torcida do Valencia de racista.

Ele foi denunciado pela Associação de Pequenos Acionistas do Valencia (APAVCF), que defende os interesses de acionistas, associados e torcedores do clube e se sentiu ofendida.

· Compartilhe esta notícia no WhatsApp

· Compartilhe esta notícia no Telegram

Publicidade

A fala de Ancelotti ocorreu após um dos vários ataques racistas sofridos pelo atacante Vinícius Júnior, dessa vez em derrota por 1 a 0 do Real Madrid para o Valencia, no estádio Mestalla.

O brasileiro adotou uma postura combativa e foi responsável por desencadear uma discussão pública sobre racismo no futebol espanhol e até sobre mudanças na lei do país. Depois da partida, o treinador italiano disse que o "estádio inteiro gritou macaco", o que incomodou parte da torcida valenciana.

Publicidade

"Não quero falar de futebol. Vocês querem falar de futebol? Foi mais que uma derrota. Não parece? Eu sou muito calmo, mas aconteceu algo que não pode acontecer. Um estádio gritando macaco a um jogador, e um treinador pensar em ter que tirá-lo por isso. Algo está muito errado nesta liga. Nada acontece", afirmou um irritado Ancelotti na ocasião, durante entrevista pós-jogo.

Depois disso, em outra entrevista, o técnico merengue se retratou. "Peço desculpas, não eram 46 mil (gritando macaco), mas também não eram apenas um ou dois", afirmou.

Publicidade

Também disse que "a Espanha não é racista, mas há, sim, racismo na Espanha", frase relacionada a uma declaração de Vini Jr., que disse que o país está sendo visto mundialmente como uma nação racista.

Apesar do pedido de desculpas de Ancelotti, a APAVCF não recuou e manteve a denúncia. "Ele tratou um estádio inteiro com 46.002 espectadores como racista perante a mídia presente na sala de imprensa do Mestalla", disse a associação, em comunicado.

"A denúncia apresentada decorre dos enormes prejuízos que foram causados ao clube e aos adeptos. As declarações feitas e o fato de todo o Mestalla ter sido tratado como racista, completamente falsas, ultrapassaram fronteiras."

Agora, cabe à Justiça espanhola decidir se enquadra ou não a fala do treinador como algum tipo de injúria.

Reapresentação

Ancelotti iniciou na última segunda-feira (10) a pré-temporada 2023/2024 com o Real Madrid. A grande novidade foi a presença do meia inglês Jude Bellingham, ex-Borussia Dortmund, principal reforço contratado pelo clube na atual janela de transferências.

Ele foi o primeiro a chegar ao time e realizou exames médicos, assim como o atacante Brahim Díaz, de volta após empréstimo ao Milan, e a promessa turca Arda Güler, de 18 anos.

Boa parte do elenco ainda não se apresentou, pois muitos jogadores atuaram por suas seleções na data Fifa do início deste mês, após o fim da temporada de clubes na Europa. É o caso dos brasileiros Vinícius Júnior, Rodrygo e Eder Militão, que, a partir de 2024, devem ser treinados por Ancelotti também na seleção brasileira.

Embora o italiano não tenha tratado do assunto publicamente, a CBF confirma que ele comandará o Brasil a partir do meio de 2024, quando termina seu contrato com o Real. Até lá, Fernando Diniz trabalhará como interino, dividido com sua função de técnico do Fluminense.

Futuro técnico da seleção, Ancelotti é 'emoji' ambulante; confira as diferentes expressões do italiano

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.