Logo R7.com
Logo do PlayPlus
BRASILEIRO 2022
Publicidade

Acusado de terrorismo, Nizar Issaoui, jogador de futebol tunisiano, ateia fogo em si mesmo

Atleta publicou um vídeo ao vivo do momento em que ateou fogo no corpo; Issaoui está vivo, mas respira com o auxílio de aparelhos

Futebol|Do R7


Nizar Issaoui, jogador tunisiano de 35 anos, foi hospitalizado nesta segunda-feira em Kairouan, na Tunísia, após ter ateado fogo no próprio corpo em frente a uma delegacia de polícia de Haffouz.

O jogador publicou em suas redes sociais um vídeo no qual explica a motivação para a sua ação. Segundo Issaoui, ele foi acusado injustamente em um caso de terrorismo. De acordo com a rádio Mosaique FM, da Tunísia, o jogador foi acusado de crime terrorista quando se dirigiu à delegacia para apresentar queixa contra um vendedor por uma discussão sobre o preço do quilo da banana por 10 dinares — cerca de R$ 163.

No vídeo transmitido ao vivo em suas redes sociais, é possível ver o momento no qual o jogador ateia fogo em si próprio. Segundo a imprensa local, o jogador está vivo e sofreu queimaduras de terceiro grau. "Hoje vou me julgar. Serei o acusado e o juiz ao mesmo tempo", escreveu o jogador em suas redes.

Na gravação, divulgada por usuários na internet, Issaoui utiliza uma jaqueta, ao que tudo indica com líquido inflamável, para atear fogo a seu corpo. Nas redes sociais, alguns perfis divulgaram o estado do atleta internado, que respira com o auxílio de aparelhos.

Publicidade

Atualmente sem clube, Issaoui defendeu diversas equipes da Tunísia ao longo de sua carreira, como o Monastir, que disputa a primeira divisão do Campeonato Tunisiano.

VP acumulou fracassos no Brasil, e o último levou a sua demissão do Flamengo; relembre fiascos

" gallery_id="63ffa95e43527f224a0005f3" url_iframe_gallery="esportes.r7.com/futebol/acusado-de-terrorismo-nizar-issaoui-jogador-de-futebol-tunisiano-ateia-fogo-em-si-mesmo-12042023"]

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.