Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Esporte - Notícias sobre Futebol, Vôlei, Fórmula 1 e mais
Publicidade

Tiago Leifert tenta responsabilizar palmeirense pela própria morte, mas é detonado e volta atrás

Para o ex-apresentador, 'quem é da organizada assume um risco' nas idas ao estádio 

Fora de Jogo|Do R7

Tiago divulgou falsas informações sobre Gabriela Anelli
Tiago divulgou falsas informações sobre Gabriela Anelli Tiago divulgou falsas informações sobre Gabriela Anelli

O ex-apresentador Tiago Leifert insinuou, durante uma transmissão em seu canal no YouTube, o 3 na Área, que contava com a participação de Eduardo Semblano e Victor Canedo, que a torcedora do Palmeiras, Gabriela Anelli, morta após ter sido atingida no pescoço por uma garrafa de vidro em frente ao Allianz Parque, foi responsável pela própria morte. 

De acordo com informações falsas divulgadas pelo jornalista, a jovem de 23 anos estaria na parte de fora do estádio, na rua Caraíbas, durante o jogo, para bater em torcedores rivais, do Flamengo.

"Segundo a Polícia Militar, dois torcedores do Flamengo estavam na rua Palestra Itália, em frente à bilheteria A, com a camisa do Flamengo. A torcida do Palmeiras foi para cima deles, e começou o confronto. Aí voaram estilhaços de vidro e pegaram nela. Ela é da Mancha Verde, ela não estava na bilheteria entrando no estádio, estava do lado de fora junto com aqueles torcedores que ficam do lado de fora", afirmou o apresentador.

E acrescentou: "Quem já foi ao Alliance sabe como funciona, e no antigo Palestra Itália era a mesma coisa. Tem gente que entra no estádio e tem uma boa parte da organizada que fica na rua para bater nas pessoas que passam".

Publicidade

Compartilhe esta notícia no WhatsApp

Compartilhe esta notícia no Telegram

Publicidade

No entanto, a confusão, que foi responsável pela morte de Gabriela, aconteceu na rua Padre Antônio Tomaz, por volta das 18h, ao lado do portão da torcida visitante, após a Polícia Militar ter intervindo em um embate entre as torcidas.

Um torcedor do Flamengo jogou uma garrafa de vidro contra os palmeirenses, que atingiu Gabriela e outra vítima, Carlos Vanderlei. Diferentemente do que alega o jornalista, a jovem esperava para entrar no estádio, para assistir ao jogo. 

Publicidade

Depois da repercussão negativa da fala e de se tornar o assunto do momento no Twitter, Leifert se retratou nas redes sociais.

"Antes que isso tome uma proporção maior do que merece, eu queria pedir desculpa por um erro que cometi hoje, um erro de informação. Um erro baseado em relatos de pessoas que estavam no local, da Polícia Militar e da imprensa, mas que agora à tarde, horas depois, a gente já sabe com mais detalhes o que aconteceu", afirmou. 

"Eu tinha dito que a torcedora que foi assassinada estava no confronto do portão A, que aconteceu durante o jogo. Agora a gente sabe que não. A gente teve acesso ao B.O. [boletim de ocorrência], li agora há pouco, e ela estava próxima ao portão D, que é o portão visitante. Voou uma garrafa da organizada do Flamengo em direção à torcida do Palmeiras, atingiu ela no pescoço. Então eu peço desculpas", complementou.

O apresentador, no entanto, ressaltou que, mesmo que tenha cometido um equívoco, é importante falar sobre as brigas de torcidas organizadas nos estádios, já que, segundo ele, Gabriela era da Mancha Verde. 

Apesar de não justificar o que aconteceu, Leifert acredita que "quem é da organizada assume um risco. (...) Todas as tragédias que acontecem são de organizadas, e é sobre isso que a gente tem que conversar".

Confira sete craques dispensados pelo São Paulo que teriam rendido milhões ao clube

" gallery_id="64a84e2e19d22437a70008cc" url_iframe_gallery="esportes.r7.com/fora-de-jogo/tiago-leifert-tenta-responsabilizar-palmeirense-pela-propria-morte-mas-e-detonado-e-volta-atras-10072023"]

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.