Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Esporte - Notícias sobre Futebol, Vôlei, Fórmula 1 e mais
Publicidade

Luis Díaz chega à Colômbia e se emociona ao reencontrar pai após sequestro

Luis Manuel Díaz foi sequestrado por uma milícia armada na Colômbia; no Liverpool, o jogador chegou a pedir a liberdade do pai

Fora de Jogo|Do R7

O pai de Luis Díaz se emocionou ao abraçar a neta e o filho
O pai de Luis Díaz se emocionou ao abraçar a neta e o filho O pai de Luis Díaz se emocionou ao abraçar a neta e o filho

O atacante Luis Díaz, do Liverpool, desembarcou na Colômbia nesta terça-feira (14) e reencontrou seu pai, Luis Manuel Díaz, libertado na quinta-feira (9) após ter passado quase duas semanas sequestrado por integrantes do grupo guerrilheiro Exército de Libertação Nacional (ELN).

As fotos do reencontro foram publicadas nas redes sociais da Seleção Colombiana de Futebol, que recebeu o jogador para iniciar a preparação para duas partidas das Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo, a primeira delas contra o Brasil, na próxima quinta-feira (16), em Barranquilla, às 21 horas.

"Assim foi o emocionante reencontro de Lucho com seu papai Mané Díaz e sua família. Te amamos e estamos mais unidos do que nunca", escreveu a página oficial da seleção ao compartilhar as fotos, que mostram Mané, apelido do pai do atacante, chorando ao abraçar o filho e a neta Roma, de apenas 2 anos.

Clique aqui e receba as notícias do R7 Esportes no seu WhatsApp

Publicidade

Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp

Compartilhe esta notícia pelo Telegram

Publicidade

Assine a newsletter R7 em Ponto

Mané Díaz foi sequestrado no dia 28 de outubro, junto de sua mulher, e mãe de Luis Díaz, Cilenis Marulanda Molina, na cidade colombiana de Barrancas. Horas depois, Cilenis foi resgatada pela polícia ao ser deixada em uma zona rural, mas Mane não foi liberado. Mais tarde, o governo da Colômbia informou que uma unidade do ELN era a responsável pelo sequestro. No mesmo dia, formou um gabinete de crise e divulgou um comunicado em que exigia a libertação imediata de Mané.

Publicidade

O ELN respondeu com uma nota em que classificava o sequestro como "um erro" e prometia libertar o sequestrado, antes de dizer que o processo de libertação havia sido prejudicado pelo desembarque de militares colombianos no norte do país. O grupo alegou que não poderia garantir a segurança de Mané naquelas circunstâncias.

O atacante do Liverpool se ausentou de dois jogos enquanto vivia o drama de ter o pai em cativeiro, mas voltou a jogar no dia 5 de novembro, quando marcou o gol do empate em 1 a 1 com o Luton Town e, ao celebrar, exibiu a frase "Liberdade para papai" estampada em uma camiseta que vestia por baixo do uniforme. Depois da partida, ele ainda publicou um comunicado em que falava diretamente ao ELN e pedia o apoio de autoridades internacionais.

A libertação veio quatro dias depois da manifestação pública de Luis Díaz. No dia 9, quinta-feira, Mané Díaz foi entregue a uma comissão humanitária da missão de paz da ONU na Colômbia e da Igreja Católica, nas redondezas de Barrancas, onde o sequestro foi iniciado.

A Colômbia vive uma tentativa de acordos de paz articulada pelo presidente Gustavo Petro. Empossado em agosto de 2022, o político do partido de esquerda Colômbia Humana se comprometeu a transformar o país, conhecido por sua violência, em uma "potência mundial da vida". Há 11 meses, ele trava negociações com o ELN, em meio a um cessar-fogo.

Díaz, Robinho, Luís Fabiano: relembre casos de sequestros que envolveram familiares de jogadores

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.