Diretor do Fla pede para Flu e Botafogo jogarem Carioca e nega insensibilidade

A oposição de Fluminense e Botafogo à retomada do Campeonato Carioca não impediu a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) a marcar a volta da competição para esta quinta-feira, com o confronto entre Bangu e Flamengo, no Maracanã. Os clubes ameaçam ir à justiça desportiva para que só atuem em julho, mas receberam um apelo público de Bruno Spindel, diretor-executivo do time rubro-negro, para que mudem de posição.

A Ferj agendou duelos das equipes para a próxima segunda-feira. Na data, o Botafogo está previsto para receber a Cabofriense no Engenhão, enquanto o Fluminense enfrentaria o Volta Redonda no Maracanã.

Em sua avaliação, a decisão do Conselho Arbitral do Estadual deveria ser respeitada. E comparou a situação desses times, que ainda não iniciaram os treinos presenciais, com a do Flamengo, que optou por iniciar o Carioca com o time sub-20 por causa do período de férias, iniciadas tardiamente por causa da participação da equipe no Mundial de Clubes. "A gente gostaria que os presidentes reconsiderassem as decisões deles e entrassem em campo no dia 22", disse Spindel.

O dirigente refutou a avaliação de que falta sensibilidade ao Flamengo por entrar em campo no Maracanã, estádio localizado em um complexo onde está instalado um hospital de campanha.

"A gente é muito sensível à dor das pessoas na pandemia. O que a gente tem feito dentro do clube é ter todos os cuidados em relação ao desenvolvimento do protocolo, desinfecção do Maracanã e do CT, aprovação do protocolo em todas as instâncias. De forma nenhuma as instalações se comunicam ou a gente gera qualquer risco. Nnão vamos colocar nenhum tipo de risco em relação ao hospital e que estaremos cuidando da saúde dos atletas e de quem vai trabalhar no evento"