Esportes Daniel Alves planeja biografia: 'Um cara que catava b... é o maior vencedor'

Daniel Alves planeja biografia: 'Um cara que catava b... é o maior vencedor'

Prestes a completar 38 anos, o veterano astro Daniel Alves já projeta uma biografia para falar de sua vida no futebol. O título da obra não está definido, mas o jogador disse ter recebido convites de algumas editoras. "Está na hora de escrever um livro. Tem muita história para contar. Fiz muita coisa e passei por muitos perrengues, mas encaro tudo como aprendizado".

Durante a conversa com o empresário Raiam Santos, alguns títulos surgiram como opção para ilustrar a capa da obra: "Fênix da poeira" e do "Céu ao chão", numa alusão à sua trajetória. Nascido em Juazeiro, cidade do interior da Bahia, ele chegou a trabalhar na roça com o pai antes de dar os primeiros passos no Bahia e depois brilhar na Europa e na seleção brasileira.

Filho de agricultor, o jogador pretende mostrar que todo o sonho é possível se a pessoa tiver foco e determinação. "Quero fazer as pessoas acreditarem que é possível, entenderem que podem ser o que quiserem. Um cara que catava b... é o maior vencedor da história do futebol", falou Daniel durante a conversa.

Acostumado às peculiaridades do mundo do futebol, onde a realidade de um jogador pode mudar da noite para o dia, Daniel entende que sua experiência pode ajudar muitas pessoas. "Fiz muita coisa nessa vida e passei por muitas situações. Só para você observar, hoje os novos ricos não dão valor ao processo. Até para você ter dinheiro, você precisa estar preparado", comentou.

Um outro projeto que Daniel Alves está dando sequência é o seu instituto. A iniciativa acabou tendo seu início retardado por causa da pandemia, mas as obras estão ocorrendo em Lauro de Freitas, na Bahia. "É um sonho que tenho de poder ajudar e transformar a realidade de algumas pessoas."

Na live, o jogador do São Paulo também para falou do amigo Neymar e as constantes polêmicas que o cercam no mundo do futebol. No último sábado, o atacante voltou ao PSG depois de ficar dez partidas fora por contusão. No final do confronto diante do Lille, no entanto, o brasileiro acabou expulso. O pior veio depois. No caminho para os vestiários, o brasileiro precisou ser contido para não brigar com Djalo, do Lille, que recebeu o vermelho também.

"O Neymar começou muito cedo né. Passou muito perrengue. Quando estourou, todo mundo caiu em cima dele. As pessoas não o conhecem. O Neymar tem a alma mais pura que eu conheci nessa trajetória toda. As pessoas precisam conhecer esse outro lado, que é uma das coisas que eu insisto em falar pra ele. Você não pode julgar o livro pela capa. Vai ler a história do livro. Vai ler as páginas para você entender. O Ney teve que ser responsável muito cedo. Muita pressão para uma pessoa só."

Diante do histórico do amigo, Daniel Alves diz entender algumas dessas reações. "Eu às vezes falo pra ele: 'extravasa porque senão você não vai aguentar. Esquece. Você é ser humano. Tem as suas fortalezas e suas debilidades. Não viva querendo agradar a todo mundo. Viva acreditando no que você tem que viver, mas com responsabilidade, pois você inspira jovens e crianças'".

Daniel falou ainda do ano de 2020 e a falta de títulos na temporada pelo São Paulo. E nessa linha, um nome foi idolatrado pelo multicampeão: o ex-treinador Fernando Diniz. "Na realidade, tiramos muito leite de pedra. As pessoas não querem saber da transformação que fez lá dentro. Só querem o resultado. Só que vamos além disso. Po isso, que idolatro o Fernando Diniz. O que ele fez no São Paulo, o bago que ele teve lá dentro, dificilmente as pessoas vão ter. O São Paulo estava 'crazy', ele chegou e falou:' vocês são fera', e começou a criar uma atmosfera. O São Paulo estava todo errado e ele conseguiu botar o clube na cena outra vez."

Na live, ele falou da metodologia empregada pelo ex-chefe e deu exemplos dos atletas que o treinador resgatou no clube. "O Diniz cria seres humanos e depois cria a performance. Ele trouxe o Luciano do Grêmio e o cara foi artilheiro do Brasileiro. O Brenner estava treinando separado do grupo, entrou no time e virou artilheiro", concluiu.

As críticas sofridas por Daniel Alves por seu desempenho no São Paulo e o fato de não estar com os salários em dia no clube também foram tema da conversa no Instagram. No entanto, o ex-jogador do Barcelona e do Paris Saint-Germain disse sabe lidar com esse tipo de problema.

"Não foco no barulho, eu foco na ação. Você tem de ter resiliência. Na vida você tem dois caminhos. Fazer história ou contar história. Eu decidi fazer história. Saí do interior do Juazeiro e fui para cima do mundo. Quem quiser me seguir, bem vindo. Vai se aproximar de ser uma pessoa exitosa. Quem quiser escutar ladainha de frustrados, eu não posso fazer nada, não posso controlar isso. Controlo as minhas ações e elas sempre são boas", falou o atleta.

E para ter um 2021 diferente, com conquistas, Daniel Alves falou de um conceito básico que aprendeu em seus 20 anos de futebol. "Não sei como ganha, mas sei como perde. Bagunçado perde, organizado ganha. As pessoas que querem viver de resultado sem saber não vão saber palestrar como conseguiram isso. O futebol é resultado? Mas se você souber como obtém o resultado, o futebol vai ficar mais gostoso", falou.

Últimas