Esportes Criticado por torcida, dirigente pede afastamento de Conselho do Guarani

Criticado por torcida, dirigente pede afastamento de Conselho do Guarani

Anaílson Batista Neves, membro do Conselho de Administração, pediu afastamento do Guarani nesta quinta-feira após ser alvo de críticas da Torcida Fúria Independente, principal organizada do clube de Campinas (SP). "Solicito meu afastamento por 30 dias, tendo em vista que venho sofrendo absurdas e injustas ameaças por conta de falsas acusações feitas a mim. Tais ameaças incluem vandalismos ao clube que tanto amo e minha presença nesse momento acabaria por prejudicar a obtenção de tranquilidade que o clube tanto busca e necessita", escreveu.

"Nesse período, buscarei cuidar de minha família que também vendo sendo ameaçada e provarei que as acusações feitas a mim são absurdas e descabidas", completou o dirigente.

Demitido do Guarani, o técnico Thiago Carpini acusou Anaílson Neves de tumultuar o ambiente do clube paulista. Antes da carta de afastamento do dirigente, a Fúria Independente esteve no estádio Brinco de Ouro da Princesa para pedir a sua "cabeça". Eles levaram uma faixa com "Fora Anaílson" e ainda divulgaram uma nota oficial com duras críticas.

"Este sujeito, se já não é, está se tornando a pessoa mais odiada da história do GUARANI FUTEBOL CLUBE. Como se não bastasse, ao longo do tempo que o mesmo encontra-se no GFC e acumula inúmeras acusações a respeito de desvio de patrocínio, comissão em negociações de atletas, compra de votos, introdução de sócios fakes nas eleições, agora o ex treinador Thiago Carpini o acusa também de tumultuar o ambiente e tentar interferir no trabalho da comissão técnica", escreveu a torcida.

Sem vencer há quatro jogos na Série B, com três derrotas e um empate, o Guarani tentará a reabilitação contra o Operário-PR neste sábado, às 19 horas, no estádio Germano Kruger, em Ponta Grossa (PR), pela oitava rodada. O Guarani abre a zona de rebaixamento com quatro pontos, no 17.º lugar.

Últimas