Esportes Com mudanças, Brasil encara Colômbia para garantir liderança do grupo

Com mudanças, Brasil encara Colômbia para garantir liderança do grupo

Motivo de dor de cabeça na Copa América de 2019, os gramados continuam a preocupar a seleção brasileira. O técnico Tite admitiu que o piso do Engenhão, no Rio de Janeiro, é um dos desafios para o jogo diante da Colômbia, nesta quarta-feira, às 21h. Uma vitória garante a classificação do Brasil como primeiro colocado do Grupo A.

Mesmo faltando duas rodadas para o fim da fase de grupos, a seleção já está classificada para as quartas de final. Líder do grupo com seis pontos em dois jogos, com sete gols marcados e nenhum sofrido, o Brasil garante a primeira colocação do grupo em caso de vitória. Tite afirma que é importante avançar em primeiro lugar para evitar grandes deslocamentos.

O jogo diante dos colombianos promete ser o mais difícil da fase de grupos. "Se a gente voltar, dos amistosos que a gente fez a jogos das Eliminatórias, eles sempre tiveram o mais alto nível de exigência. Passei isso aos atletas e estou falando não como supervalorização, mas reconhecimento das dificuldades", elogiou Tite.

O treinador não confirmou a escalação, mas adiantou que vai fazer mais mudanças. Até o momento, 21 dos 24 convocados para o torneio já foram utilizados. "Nós seguimos nossa mesma forma, estabelecida como ideia na competição. Vamos ter algumas mudanças, mas, teoricamente, não vão modificar a engrenagem da equipe", disse Tite.

Uma das alterações confirmadas é a entrada de Weverton para completar o rodízio dos goleiros. "A gente sabe como o Tite é detalhista, para analisar todas as características. Se ele me deu essa oportunidade é porque ele confia no meu trabalho. Preciso fazer o meu melhor, estou feliz com a oportunidade e poder jogar neste momento", afirmou o atleta, confirmando a mudança.

Além de mudar o goleiro, Tite deve promover outras trocas em relação à goleada por 4 a 0 sobre o Peru, na última quinta. Reserva nas últimas quatro partidas, o meia Everton Ribeiro pode voltar a ter chance como titular. É possível também que Marquinhos e Casemiro, titulares absolutos e poupados na última rodada, também retornem à equipe.

O treinador reforçou que está preocupado com a qualidade do piso do Engenhão. "O estado do gramado não é bom. Em função de ser recente a retirada é humanamente impossível (que fique bom)", afirmou o treinador em entrevista coletiva na Granja Comary, em Teresópolis.

Na vitória contra o Peru por 4 a 0, o Brasil deixou o mesmo estádio bastante insatisfeito com a qualidade do piso. Houve reclamação pública com postagens em redes sociais como a de Neymar, que pediu para que o gramado fosse arrumado.

As reclamações atualizam o problema enfrentado dois anos atrás. Naquela ocasião, os estádios criticados faziam parte da elite, entre eles, a Arena Grêmio, em Porto Alegre, Fonte Nova, em Salvador, e Maracanã, no Rio de Janeiro. Mesmo assim, o argentino Lionel Messi, o uruguaio Luis Suárez e o colombiano James Rodríguez reclamaram publicamente.

Neste ano, a situação é ainda mais delicada. Com a definição do Brasil como sede faltando pouco mais de uma semana para o início do torneio, os estádios escolhidos não são os principais do País. São arenas que, em sua maioria, não vinham sendo utilizadas pelos clubes das séries A e B. No caso da Arena Pantanal, o Cuiabá já teve dois jogos do Brasileirão adiados.

A qualidade do gramado é fundamental para o estilo de jogo da seleção, baseado na técnica, nos toques rápidos e na velocidade. Isso aumenta a vantagem em relação às outras equipes. Tite também mostrou preocupação com a condição física dos atletas. Ele até citou um lance na vitória sobre a Venezuela, no Mané Garrincha, em Brasília. "Eu reclamei de uma falta cometida pelo lateral da Venezuela no Neymar. Depois, eu fui ver que o pé de apoio escorregou e, por isso, ele fez a falta. Ter melhores condições de gramado traz espetáculo e dá mais saúde e segurança aos atletas", explicou o treinador.

FICHA TÉCNICA

BRASIL X COLÔMBIA

BRASIL - Weverton; Danilo, Marquinhos, Eder Militão e Alex Sandro; Casemiro, Douglas Luiz, Everton Ribeiro e Neymar; Roberto Firmino e Gabriel Jesus. Técnico: Tite

COLÔMBIA - Ospina; Muñoz (Medina), Mina, Sánchez e Tesillo; Barrios, Uribe, Cuadrado, Cardona, e Díaz; Borja (Zapata). Técnico: Reinaldo Rueda

ÁRBITRO - Nestor Pitana (Argentina)

HORÁRIO - 21 horas

LOCAL - Engenhão, no Rio de Janeiro.

Últimas