Com emoção, jogadores do Wuhan Zall voltam para casa na China depois de 104 dias

Com muita emoção no aeroporto, 104 dias depois, os jogadores e a comissão técnica do Wuhan Zall, equipe que disputa a elite do Campeonato Chinês, está de volta para casa. Depois de mais de três meses afastados de suas famílias, os membros da delegação do time regressaram neste domingo à cidade onde começou o surto que gerou a pandemia do novo coronavírus.

A equipe desembarcou no aeroporto com ramos de flores nas mãos e máscaras nos rostos, tendo sido recebida por centenas de torcedores com cânticos e muita alegria. A volta para casa só foi possível porque a cidade de Wuhan já saiu do confinamento a que foi sujeitada devido ao surto que rapidamente se propagou dando origem a uma pandemia reconhecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

"Depois de mais de três meses afastados, os membros da equipe Wuhan Zall, com saudades de seu país, finalmente estão em sua cidade natal. Os jogadores se reencontraram com suas famílias depois de um longo tempo de ausência. O clube agradece às famílias pelo apoio e compreensão", disse um comunicado oficial do time na Weibo, uma rede social chinesa semelhante ao Twitter.

A delegação do Wuhan Zall, sexto colocado no último Campeonato Chinês e que tem o centroavante brasileiro Léo Baptistão no elenco, deixou a cidade no dia 2 de janeiro e foi para Guangzhou, ainda na China, a mais de mil quilômetros de distância, para fugir do surto da covid-19, que afetava Wuhan. Com o crescimento do surto no país, o time foi para a Espanha 27 dias depois e ficou na cidade de Sotogrande, perto de Cádiz, até a metade de março.

Já com a pandemia anunciada pela OMS e com a Espanha sendo um dos países europeus mais atingidos por ela, a delegação do Wuhan Zall teve de deixar o local e optou por voltar à China, que já tinha maior controle sobre o novo coronavírus. O time ficou em Shenzhen por três semanas, para cumprir o isolamento imposto pelo governo chinês e neste final de semana, enfim, retornou para casa.