Logo R7.com
Logo do PlayPlus
BRASILEIRO 2022
Publicidade

Verstappen vence GP do México em corrida com bandeira vermelha; Hamilton chega em segundo

Max Verstappen venceu mais um Grande Prêmio na temporada da Fórmula 1. O piloto da Red Bull largou em terceiro e assumiu a primeira...

Automobilismo|Do R7

Max Verstappen venceu mais um Grande Prêmio na temporada da Fórmula 1. O piloto da Red Bull largou em terceiro e assumiu a primeira posição de Charles Leclerc na primeira curva do México, assim como aconteceu com o monegasco nos Estados Unidos na briga com Lando Norris no último final de semana. Em segundo lugar no pódio, Lewis Hamilton comemorou muito o resultado deste domingo de olho no Mundial de Pilotos, uma vez que Sergio Pérez precisou abandonar a corrida na primeira volta.

O mexicano era a grande estrela do Grande Prêmio do México, com uma vasta torcida na arquibancada, mas tocou a roda com Leclerc na primeira curva e não saiu mais dos boxes. Muito além de perder a prova diante dos seus fãs, o piloto da Red Bull aumentou a chance de Hamilton encostar na briga pelo vice-campeonato: agora o britânico tem 220 pontos, contra 240 do rival, restando três corridas.

Com mais uma vitória, a 16ª na temporada, Max Verstappen igualou o francês e tetracampeão da Fórmula 1, Alain Prost, com 51 troféus na carreira.

A CORRIDA

Publicidade

Assim que a última luz vermelha apagou na Cidade do México, os fãs de Fórmula 1 foram brindados com muita emoção na largada. Carlos Sainz saiu muito lento e Max Verstappen encontrou espaço entre as Ferraris para brigar com Charles Leclerc. O belga acelerou por dentro e assumiu a ponta já na primeira curva, estragando mais uma pole do monegasco.

Se a estratégia de Verstappen deu certo nos primeiros metros de corrida, a Red Bull de Sergio Pérez não teve a mesma sorte. Grande personagem do final de semana, o mexicano também largou rápido e tentou ultrapassar as Ferraris na curva 1, mas forçou muito o traçado e bateu a roda com Leclerc. Seu carro sofreu diversas avarias e o piloto teve que abandonar o Grande Prêmio na primeira volta.

Publicidade

Além de perder a liderança, Leclerc quebrou uma parte da asa dianteira do lado esquerdo em meio a toda a confusão, mas se manteve na pista - seu engenheiro garantiu que o dano não iria atrapalhar a performance. Na ponta, Verstappen rodou uma volta rápida atrás da outra e em tempo abriu mais de 4 segundos para cima da dupla da Ferrari.

Ciente do abandono de Pérez, Lewis Hamilton conversou com a Mercedes pelo rádio e ajustou a estratégia para apertar o ritmo com os pneus médios. O heptacampeão encostou em Carlos Sainz e perseguiu o espanhol com a asa móvel aberta, mas não conseguiu ultrapassar a Ferrari. Sem sucesso, o inglês chegou a andar na parte suja da pista para resfriar o motor, diminuindo o ritmo.

Publicidade

Verstappen foi o primeiro a parar no México e voltou para a pista com pneus duros. Assim como aconteceu em toda a temporada, o belga mostrou o porquê a Red Bull está com o carro campeão. Ele ultrapassou a Mercedes de George Russel, a McLaren de Oscar Piastri e a AlphaTauri de Daniel Ricciardo sem nenhuma dificuldade e ganhou posições importantes no grid.

A partir daí havia apenas a Ferrari à sua frente e foi quando Max sentiu-se ainda mais confortável. O tricampeão tirou uma vantagem gigantesca que Sainz tinha construído para cima de Hamilton e, em poucas voltas, colocou de lado para tomar a segunda posição do espanhol. Ao perceber que era impossível tentar parar a Red Bull, a escuderia italiana chamou os dois pilotos para trocar o jogo de pneus.

Na volta 33, Kevin Magnussen assustou todos os torcedores com uma batida forte na barreira de proteção da curva 8. O dinamarquês passou por cima da zebra e quebrou a suspensão traseira, perdendo a curva e passando reto. Após o choque, o piloto desceu atordoado e o carro da Haas teve um princípio de incêndio, mas rapidamente foi controlado.

Primeiramente o controle de prova chamou o Safety Car, mas pouco tempo depois foi dada bandeira vermelha para reconstruir a barreira de proteção e remover o carro. Max Verstappen, que estava sobrando na ponta, não gostou da decisão de paralisar a corrida, principalmente ao saber que a relargada seria parada, mas nada poderia fazer além de protestar.

RELARGADA

Tudo o que Leclerc errou na largada, o monegasco acertou no reinício da corrida. Mesmo sem conseguir ultrapassar Max Verstappen, o piloto foi eficiente para fechar a porta para cima de Lewis Hamilton e assegurar a sua segunda posição. Ainda assim, a Ferrari teve que suportar a pressão da Mercedes no retrovisor e com a asa móvel aberta.

Mas Leclerc descobriu que segurar o heptacampeão da Fórmula 1 não é uma tarefa fácil e a briga não durou muito tempo. Na reta principal do México, Lewis colocou de lado e pegou a linha de dentro da primeira curva. Charles fechou completamente o espaço e jogou o inglês para a grama, mas nem assim conseguiu impedir a ultrapassagem, para delírio da torcida.

Na parte final da corrida, Lando Norris roubou a cena. O britânico encostou em Oscar Piastri e a McLaren pediu para o australiano deixar o companheiro passar. Em pouco tempo, ele também chegou em Daniel Ricciardo e tomou a sexta posição. Na sequência, foi a vez de travar uma linda batalha com George Russell, alcançando a quinta colocação em uma excelente manobra por dentro da curva.

CONFIRA O RESULTADO DO GP DO MÉXICO:

1º - Max Verstappen (HOL/Red Bull)

2º - Lewis Hamilton (ING/Mercedes), a 13s875

3º - Charles Leclerc (MON/Ferrari), a 23s124

4º Carlos Sainz (ESP/Ferrari), a 27s154

5º - Lando Norris (ING/McLaren), a 33s266

6º - George Russell (ING/Mercedes), a 41s020

7º - Daniel Ricciardo (AUS/AlphaTauri), a 41s570

8º - Oscar Piastri (AUS/McLaren), a 43s104

9º - Alexander Albon (TAI/Williams), a 48s573

10º - Esteban Ocon (FRA/Alpine), a 62s879

11º - Pierre Gasly (FRA/Alpine), a 66s208

12º - Yuki Tsunoda (JAP/AlphaTauri), a 78s982

13º - Nico Hulkenberg (ALE/Haas), a 80s309

14º - Valtteri Bottas (FIN/Alfa Romeo), a 80s597

15º - Zhou Guanyu (CHI/Alfa Romeo), a 81s676

16º - Logan Sargeant (EUA/Williams), a 77s155

Não completaram a prova: Fernando Alonso (ESP/Aston Martin), Sergio Pérez (MEX/Red Bull), Lance Stroll (CAN/Aston Martin) e Kevin Magnussen (DIN/Haas).

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.