Automobilismo Verstappen supera Mercedes e vence GP do 70º Aniversário

Verstappen supera Mercedes e vence GP do 70º Aniversário

Piloto holandês executou de forma impecável a estratégia planejada e venceu o GP do 70.º Aniversário da Fórmula 1 neste domingo (9)

Agência Estado

Reprodução/Twitter/F1

Em uma prova em que as táticas fizeram a diferença, o holandês Max Verstappen executou de forma impecável a estratégia planejada e venceu o GP do 70.º Aniversário da Fórmula 1 neste domingo (9). O piloto da Red Bull superou Lewis Hamilton e Valtteri Bottas e encerrou a sequência vitoriosa da Mercedes, que havia triunfado nas quatro corridas anteriores desta temporada.

Verstappen foi praticamente perfeito na execução do plano traçado pela Red Bull e ganhou de maneira incontestável. O holandês foi o único a largar com pneus duros, passou parte da prova com os médios e completou a estratégia com novos compostos. Ele assumiu a dianteira no momento em que os pilotos da Mercedes foram aos boxes. Depois, fez a troca de pneus junto de Bottas para evitar ser ultrapassado.

"Tínhamos muito ritmo no carro, então seguimos pressionando. Nos tivemos um dia incrível. Tivemos a estratégia correta. Eu tentei colocar pressão na Mercedes para forçar o pit stop", explicou Verstappen. Foi sua nona vitória na carreira e a primeira no ano, o que confirma que ele é o mais preparado para brigar com os rivais da Mercedes nesta temporada.

Vencedor das últimas três corridas, Lewis Hamilton terminou em segundo. O hexacampeão mundial ficou sem o primeiro lugar, mas, com o segundo posto, subiu no pódio pela 155ª vez na categoria e se igualou ao recordista Michael Schumacher.

Valtteri Bottas acabou decepcionando. O finlandês largou na pole e manteve a ponta até fazer sua primeira parada. Depois, tentou perseguir Verstappen, mas não só viu o adversário abrir longa vantagem como também foi superado por seu companheiro Hamilton no fim, terminando em terceiro.

Desta vez, a Ferrari teve um desempenho positivo e Charles Leclerc conseguiu mais uma boa colocação. Ele terminou em quarto, seguido pelo tailandês Alexander Albon, parceiro de Verstappen na Red Bull. A Racing Point colocou seus dois carros na sexta e sétima posições, com o canadense Lance Stroll à frente do alemão Nico Hulkenberg, que substituiu pela segunda vez o mexicano Sergio Perez, diagnosticado com covid-19.

O francês Esteban Ocon, da Renault, foi o oitavo, seguido pelo jovem britânico Lando Norris, da McLaren. O russo Daniil Kvyat, da AlphaTauri, completou o grupo dos dez primeiros colocados. Sebastian Vettel, após mais uma performance ruim, foi só o 12º.

Veja também: Federação Holandesa autoriza jogadora a atuar em time masculino

Na classificação geral do campeonato, Hamilton segue na liderança, com 107 pontos, 30 de vantagem para Verstappen, o novo vice-líder. Bottas caiu para terceiro na tabela, com 73 pontos, e Charles Leclerc ocupa o quarto lugar do Mundial, com 45 pontos.

A Fórmula 1 mais uma vez organizou um protesto antirracista antes da largada, sempre liderado por Lewis Hamilton. Dos 20 pilotos, sete escolheram não se ajoelhar: Max Verstappen, Charles Leclerc, Kimi Raikkonen, Daniil Kvyat, Carlos Sainz Jr., Antonio Giovinazzi, e Kevin Magnussen.

Depois de duas corridas consecutivas em Silverstone, na Inglaterra, a Fórmula 1 segue no próximo fim de semana para Barcelona para a disputa do GP da Espanha, a quinta etapa da temporada.

Luxo para poucos! CR7 compra iate de três andares por mais de R$ 50 mi

Últimas