Logo R7.com
Logo do PlayPlus
BRASILEIRO 2022
Publicidade

Nelsinho Piquet, pivô da polêmica no mundial de 2008, diz 'não julgar' decisão de Massa entrar na Justiça

O piloto admitiu que bateu intencionalmente para ajudar Alonso na corrida; o resultado prejudicou Felipe Massa na conquista do título

Automobilismo|Do R7

Nelsinho Piquet comentou a decisão de Felipe Massa de buscar na Justiça o título de 2008 da Fórmula 1. Atual piloto da equipe Crown Racing da Stock Car, o filho do tricampeão mundial Nelson Piquet acabou prejudicando o compatriota por causa de uma batida intencional no GP de Cingapura daquele ano. Ele afirma "não julgar" o pleito do colega pelo troféu nos tribunais.

"Eu não tenho muito o que achar. Ele tem de fazer as vontades dele. Se ele está com vontade de fazer isso, quem sou eu para ficar julgando", disse Nelsinho em entrevista ao podcast Na Ponta dos Dedos.

"Não estive no lugar dele, não sei o que ele passou, não sei o que ele ouviu... Não posso ficar julgando sem saber exatamente o que passa pela cabeça dele", acrescentou.

Em 2008, no Grande Prêmio de Cingapura, Nelsinho Piquet, então na Renault, bateu o carro deliberadamente para ajudar Fernando Alonso, seu companheiro de equipe, a vencer a prova.

Publicidade

O safety car entrou na pista, e Massa foi chamado pela Ferrari aos boxes. Porém, o piloto foi liberado com a mangueira de combustível acoplada no carro e acabou sendo punido por quase atingir Adrian Sutil.

O brasileiro foi punido por ter deixado os boxes com o objeto pendurado em seu carro. Ele terminou a prova em 13º lugar, sem somar pontos. Hamilton, seu grande rival no campeonato, foi o terceiro. O inglês viu sua vantagem crescer de 1 para 7 pontos na tabela.

Publicidade

A última etapa da temporada foi disputada no Autódromo de Interlagos. Massa, vencedor da prova, perdeu o título daquele ano na reta final, quando Hamilton ultrapassou o alemão Timo Glock na última curva da volta final e terminou em quarto, posição mínima que ele precisava alcançar para levar o troféu caso o brasileiro ficasse no lugar mais alto do pódio no Brasil.

Em agosto de 2009, Nelsinho deixou a Renault e logo admitiu à FIA ter batido de propósito em Cingapura para ajudar Alonso.

Publicidade

Ele contou com o apoio do pai para fazer a denúncia, que terminou com os dirigentes Flavio Briatore, chefe da equipe, e Pat Symonds, diretor de engenharia, suspensos.

A polêmica voltou à tona em março deste ano. Bernie Ecclestone, ex-chefão da Fórmula 1, revelou ao site F1-Insider que ficou sabendo da batida intencional de Nelsinho ainda em 2008.

Essa informação é o grande fundamento das ações judiciais de Massa. O motivo é que, pelas regras da FIA, um campeonato não pode ter seus resultados alterados após finalizado.

Assim, a confissão de Nelsinho, feita somente em 2009, não seria o suficiente para mudar o resultado daquela corrida.

Além do reconhecimento do título, os advogados de Felipe Massa buscam uma indenização pelos prejuízos causados ao brasileiro.

O valor poderia chegar a US$ 150 milhões (R$ 741 milhões, pelo câmbio atual), levando-se em consideração o aumento de salário de pilotos após a conquista de um título.

Verstappen segue líder no mundial de Fórmula 1, só que na grana Hamilton reassumiu a liderança

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.