Após protestos, Osaka está na final em Cincinnati; Djokovic também disputa título

A japonesa Naomi Osaka está na final do Torneio de Cincinnati, ao derrotar, nesta sexta-feira, a belga Elise Mertens, por 2 sets a 0, com parciais de 6/2 e 7/6 (7/5), em 2h01 de jogo.

O triunfo veio dois dias depois de a tenista aderir aos protestos em favor de Jacob Blake, um homem negro alvejado com sete tiros nas costas por policiais no estado de Wisconsin, no domingo, e anunciar que iria abandonar a competição. Ela só voltou a jogar, após conseguir que os organizadores adiassem os jogos por um dia.

Na final, Osaka, ganhadora de dois torneios de Grand Slam, vai enfrentar a bielo-russa Victoria Azarenka, que eliminou a britânica Johanna Konta, por 2 sets a 1, com parciais de 4/6, 6/4 e 6/1.

No masculino, o sérvio Novak Djokovic precisou suar muito para conseguir virar o jogo diante do espanhol Roberto Bautista e conseguir uma vaga na final. O número 1 do mundo perdeu o primeiro set por 4/6, devolveu o mesmo placar no segundo set (6/4) e precisou do tie break para fechar o set decisivo (7/6).

Djokovic vai ter como rival na final o canadense Milos Raonic, ex-número três do mundo e atual 30º do ranking, que superou o grego Stéfanos Tsitsipas, em dois sets: 7/6 (7/5) e 6/3. Vai ser o 11º jogo entre ambos e até agora todas as vitórias foram do jogador da Sérvia, que vai buscar o segundo título em Cincinnati. O primeiro foi em 2018, diante do suíço Roger Federer.