Esportes Abel diz que juiz pediu desculpa e atribui expulsões a árbitro assistente

Abel diz que juiz pediu desculpa e atribui expulsões a árbitro assistente

As decisões da arbitragem na derrota do Palmeiras por 2 a 0 para o Atlético-MG monopolizaram a entrevista coletiva do técnico Abel Ferreira em razão da expulsão controversa de Patrick de Paula no primeiro tempo. O treinador português afirmou que o árbitro carioca Bruno Arleu de Araújo, que faz parte do quadro da Fifa, pediu desculpas aos jogadores pela marcação. Ele condenou a conduta de Rodrigo Correa, um dos assistentes, e o responsável pelas expulsões, segundo o treinador.

Segundo Abel, o árbitro não iria apresentar o segundo amarelo a Patrick de Paula depois que o meio-campista acertou, sem querer, após escorregar, o volante Jair. Mas foi aconselhado pelo bandeira, que também integra o quadro da Fifa, a expulsar o jovem do Palmeiras e assim o fez. De acordo com o técnico português, o juiz assumiu o erro e pediu desculpas aos atletas depois do jogo e o responsável pela expulsão foi o bandeirinha.

"Foi o bandeira, o assistente, o senhor Rodrigo Correa. O árbitro da partida tinha tomado uma boa decisão em não dar amarelo ao Patrick, mas não sei por que, o bandeira a 40 ou 50 metros, é ele quem dá instruções ao senhor Bruno para expulsar o Patrick de Paula", disse Abel.

Abel também foi expulso durante o jogo depois de reclamar muito do vermelho apresentado a Patrick de Paula. Sua revolta se deu com Rodrigo Correa, que, segundo ele, foi o responsável também por sua expulsão.

"As imagens são claras, o Patrick de Paula não toca no jogador adversário. O problema não foi só esse. Este mesmo senhor, Rodrigo Correa, ele me expulsou, também. Não estava satisfeito a ficar a 40, 50 metros quando o árbitro decidiu bem em deixar seguir. O assistente fez questão de expulsar o Patrick e no momento seguinte expulsar o treinador. E digo mais: o árbitro percebeu que errou e errou feio. E pediu desculpa aos nossos jogadores", ressaltou o treinador.

"Mas agora não adianta, tem muita coisa em jogo, dinheiro em jogo, títulos em jogo, nosso trabalho, dedicação, nossos torcedores que torcem pelo nosso melhor desempenho. Há um lance capital, com influência direta no desenrolar do jogo", acrescentou.

Ele considera que a decisão da arbitragem influenciou diretamente o resultado da partida. Com um a mais, o Atlético-MG dominou o Palmeiras e marcou um gol em cada tempo, ambos com Savarino. O time alviverde limitou-se a se defender e Abel colocou um zagueiro e mais dois volantes no intervalo, além de Rony.

"Hoje tinha tudo para ser um grande jogo, contra uma grande equipe que é o Atlético-MG, bem orientada, com grandes jogadores, fez um grande investimento neste ano. Tínhamos uma estratégia bem definida, mas infelizmente teve uma equipe dentro de campo que não esteve à altura destas duas equipes", lamentou.

O comandante palmeirense explicou que decidiu lançar mão do zagueiro Luan, dos volantes Danilo Barbosa e Zé Rafael e do atacante Rony no intervalo em virtude do cenário adverso no Mineirão e da importância do duelo contra o São Paulo, pela Libertadores,

"Depois do que vi na primeira parte, por saber o adversário que jogávamos e tendo jogo daqui a três dias, o esforço que teríamos de despender para os que estavam dentro e daqui a três dias temos um jogo decisivo, tomei a decisão de fazer as quatro trocas por gestões físicas e por saber que seria muito difícil conseguirmos dar a volta no resultado conforme aquilo que vi na primeira parte", explicou.

"As trocas foram neste sentido, de deixar a equipe mais compacta, mais alta para tentar um gol em bola parada. Mas contra uma equipe com muita experiência, acabaram por controlar o jogo e em dois cruzamentos do Arana fizeram dois gols e controlaram o jogo com bola. Mas tem um lance capital, que não podemos dissociar da análise, porque é determinante para o desenrolar do jogo", emendou o treinador.

O Palmeiras viu o Atlético-MG abrir cinco pontos na liderança e, para piorar, pode perder o segundo lugar para o Fortaleza, que entra em campo neste domingo contra o Santos. O time alviverde, agora, se concentra na decisão com o São Paulo, terça-feira, às 21h30, pela volta das quartas da Libertadores. O duelo que definirá o semifinalista será no Allianz Parque.

Últimas