Esportes Vice da Chapecoense renuncia e aponta 'interferência externa e política'

Vice da Chapecoense renuncia e aponta 'interferência externa e política'

Agência Estado - Esportes

O empresário Mano Dal Piva renunciou à vice-presidência da Chapecoense, nesta quarta-feira, a pedido do presidente Gilson Sbeghen. Em longa carta aos torcedores, Piva garantiu que avisou à diretoria sobre o risco de rebaixamento no Campeonato Brasileiro em caso de não contratações e revelou que o clube tem sofrido interferência externa e política.

"Alertei que iríamos correr o risco de não encontrarmos os atletas necessários para o devido equilíbrio do elenco. Mesmo assim, a decisão da Diretoria da Chapecoense, por maioria, foi por seguir dessa forma (de postergar a contratação de reforços)", comentou o ex-vice-presidente.

Sócio da Chapecoense desde 2009, Mano Dal Piva chegou a disputar a presidência em 2018, mas acabou derrotado. Com a renúncia de Plínio Arlindo de Nês Filho, ele foi convidado pelo substituto Paulo Magro a integrar a diretoria. Após a morte de Magro, vítima de covid-19, porém, Piva não conseguiu se entender com o novo presidente Gilson Sbeghen.

"Além das dificuldades financeiras, a gestão do clube também passou a ter interferência externa e política, o que não é o correto. O próprio estatuto impede isso. A Chapecoense não tem dono. Ela pertence a toda torcida. Todos os torcedores", alertou ele.

A Chapecoense, também em nota oficial, manifestou-se sobre a decisão de Mano Dal Piva e agradeceu o empresário pelos serviços prestados. O clube, no entanto, não comentou nada sobre as declarações do ex-dirigente.

"Por toda a dedicação, bem como pelas conquistas que ficarão marcadas na história da agremiação, o clube - em nome de toda a sua diretoria e colaboradores - reitera os seus agradecimentos", diz a nota da Chapecoense.

Enquanto esteve na Chapecoense, Mano Dal Piva participou da conquista do sétimo título catarinense, do acesso à Série A do Campeonato Brasileiro e do título da Série B.

Hoje, a Chapecoense passa por crise em campo. Sem vencer, o time do técnico Pintado amarga a lanterna com apenas quatro pontos em 15 jogos, estando a 11 do primeiro adversário fora da zona de rebaixamento. A Chapecoense voltará a campo na próxima segunda-feira (16), às 20 horas, na Arena Condá, em Chapecó (SC), quando receberá o América-MG pela 16ª rodada.

Últimas