Esportes Título do São Paulo alivia pressão e abre portas para voos mais altos em 2021

Título do São Paulo alivia pressão e abre portas para voos mais altos em 2021

Troféu no currículo, dinheiro no bolso, tranquilidade para trabalhar nos próximos meses e centrar o foco em novas prioridades. Esse foi o saldo da conquista pelo São Paulo do título do Campeonato Paulista neste domingo, diante do Palmeiras, no Morumbi.

Além de encerrar um incômodo jejum de conquistas, o título diminui a desconfiança da torcida sobre os caminhos que o futebol do São Paulo deve tomar em 2021. Além disso, o triunfo sobre o rival alviverde deixa o elenco mais encorpado para brigar pela Copa Libertadores e também ser protagonista na disputa do Campeonato Brasileiro e da Copa do Brasil.

A dimensão da conquista do Estadual, antes relegado a segundo plano pela torcida são-paulina, pode ser dimensionada pela declaração dada pelo diretor de futebol Carlos Belmonte à ESPN Brasil. "Eu disse aos jogadores que temos que jogar o Paulista como se fosse uma Copa do Mundo".

Além do reforço nos cofres com os R$ 3,5 milhões de premiação pelo Estadual, o título vai trazer a paz necessária para Hernán Crespo seguir a sua linha de trabalho. E essa tranquilidade passa também pelas finanças do clube. O planejamento da diretoria é usar esse montante para abater parte da dívida com o elenco, herança ainda da gestão anterior.

No campo esportivo, parte do clima mais ameno daqui para frente também se deve à classificação antecipada na fase de grupos da Libertadores. Em meio a uma maratona de jogos que os grandes clubes paulistas foram obrigados a enfrentar, enfileirar vitórias atuando a cada dois dias foi um grande feito do treinador argentino. Tal desempenho, rendeu ao clube a melhor campanha do torneio estadual na fase de classificação.

Agora, com o foco no Brasileirão e na Copa do Brasil e na reta final da fase eliminatória da Libertadores, a aposta é conciliar a experiência de atletas como Daniel Alves e Miranda ao ímpeto de promessas como Gabriel Sara e Luan. O objetivo é um só: equilibrar o time.

Outros jogadores que chegaram para ser titulares e perderam espaço, aproveitaram o título para tentar uma retomada. Um exemplo disso é o atacante Pablo. "Por ser um especialista na posição, o Crespo me passa muitas dicas de posicionamento. Ele me pede sempre para não desistir da jogada, apostar sempre no erro do zagueiro. São conselhos importantes que eu procuro seguir", afirmou o centroavante.

REFORÇOS - Com o elenco na mão, Crespo já está afinado com a diretoria na busca de reforços pontuais para a sequência da temporada. A chegada de Benítez, que veio do Vasco para reforçar o setor de criação da equipe, é o exemplo mais claro dessa política de "humildade e pés no chão", implantada pelo presidente Julio Casares.

Mas, diante da delicada situação financeira do clube, a prioridade continua sendo a integração com a base, a fim de pinçar novos talentos para o elenco principal.

Para o restante da temporada, que agora passa a ter adversários mais gabaritados, o treinador argentino esbanja confiança com o que tem em mãos. "Nesse período de jogos em sequência, foram muitas as mudanças, mas o grupo mostrou ser competitivo. Os atletas mostraram garra, identidade com o clube e muita vontade de lutar. Isso me deixou muito satisfeito. A gente trabalha intensamente todos os dias. Essa competição interna é muito importante", falou Crespo.

Agora, de posse de seu primeiro título, cabe também à diretoria do clube, que está na fase inicial de seu mandato, respaldar o trabalho do treinador argentino e seguir seu planejamento de manter no futebol um time competitivo. "Torcedor quer conquista e quando se chega em finais a chance de título aumenta. Queremos sempre que o time evolua para cumprir esses objetivos", afirmou Júlio Casares.

Últimas