Técnico dos Spurs, Popovich comenta cenário dos EUA: 'Nosso país está em apuros'

Comandante do San Antonio Spurs e da seleção de basquete dos Estados Unidos, Gregg Popovich se mostrou abalado pela recente onda de racismo do seu país. Em vídeos nas redes sociais da franquia da NBA, o experiente técnico comentou o recente caso da morte de George Floyd por um policial branco e descreveu o atual cenário como "apuros".

Popovich ainda se mostrou "envergonhado como uma pessoa branca" por saber que o homem morreu de uma maneira tão trágica, com alguém ajoelhado sobre seu pescoço. O caso resultou em uma série de protestos, primeiro nos Estados Unidos, depois se espalhando pelo mundo todo. LeBron James, Jaylen Brown, Stephen Jackson e outros importantes nomes da liga de basquete norte-americana externaram sua indignação com a morte de Floyd.

"De uma maneira estranha e contra-intuitiva, acho que o melhor momento de aprendizado dessa recente tragédia, eu acho, foi o olhar no rosto do policial", declarou Popovich no vídeo compartilhado pelos Spurs como parte de campanha da equipe. "Para os brancos verem como indiferente, casual e cotidiano foi esse trabalho, ele simplesmente pôs seu joelho para ensinar a lição a alguém - e que era seu direito e dever fazê-lo, em sua mente", disse o técnico, reprovando a atitude do policial.

"Eu não sei... Eu acho que estou simplesmente envergonhado como uma pessoa branca de saber que isso pode acontecer. De assistir um linchamento", afirmou Popovich indignado.

Aos 71 anos, o veterano treinador já foi campeão da NBA cinco vezes desde que assumiu o San Antonio Spurs nos anos 1990. De todas as experiências que teve durante esses anos, uma execução pública nunca passou pela sua cabeça. "Nós todos vemos nos livros e vemos pessoas negras penduradas em árvores e você fica impressionado. Mas eu acabei de ver isso de novo. Eu nunca achei que fosse ver, com meus próprios olhos, em tempo real".

Popovich completou ainda dizendo que é o momentos de pessoas brancas agirem "sem importar as consequência" para uma sociedade mais igualitária. "Nós temos que fazer isso. Os negros carregam esse fardo há 400 anos. A única razão pela qual essa nação teve progresso é pela persistência, paciência e esforço das pessoas negras".

"A história da nossa nação desde o seu começo de várias formas foram uma mentira, e nós continuamos home em dia, principalmente negros e pardos, a tentar tornar essa mentira uma verdade, para que não seja mais uma mentira", declarou o treinador. "Esses direitos e privilégios são desfrutados por pessoas de cor, assim como nós. Então tem que ser a gente, na minha opinião, a falar sobre o verdadeiro poder, e reivindicar por ele, não importa as consequências. Nós temos que falar".