Esportes Sem atuar pelo Inter desde 2017, Valdívia se despede: 'Encontrei a felicidade'

Sem atuar pelo Inter desde 2017, Valdívia se despede: 'Encontrei a felicidade'

Sem atuar pelo Internacional desde 2017, Valdívia só deixou de ser jogador vinculado ao clube gaúcho com o início de 2021, em virtude do encerramento do seu contrato, que era válido até 31 de dezembro. E se despediu da equipe e dos seus torcedores, com publicação no Instagram, declarando ter encontrado a felicidade como jogador ao vestir a camisa colorada.

"O início de um novo ano traz a perspectiva de novos ciclos, novos momentos e novas oportunidades. E um dos meus ciclos mais importantes se encerrou no final de 2020. E eu não poderia deixar passar em branco! Por isso, decidi vir aqui fazer este agradecimento público ao Sport Club Internacional, com o qual encerrei contrato no último dia 31 de dezembro", escreveu.

Valdívia deu seus primeiros passos no futebol pelo Rondonópolis, se profissionalizando pelo Inter em 2013. De lá até 2017, foram 143 jogos disputados, 28 gols marcados e dois títulos gaúchos, em 2014 e 2015. Viveu seu auge em 2015, ano em que o time foi semifinalista da Libertadores.

"Do dia que cheguei do Rondonópolis para jogar na base, passando pela estreia no profissional, pelos títulos gaúchos e a campanha inesquecível na Libertadores 2015 até a chegada à seleção brasileira olímpica, minhas recordações são as melhores. O Inter me abriu as portas, me formou como atleta e me projetou no cenário mundial. E, acima de tudo, me fez encontrar a felicidade jogando futebol", publicou.

Em 2017, ano seguinte ao rebaixamento do Inter no Campeonato Brasileiro, passou a ser emprestado. Atuou, desde então, por Atlético Mineiro, São Paulo, Al Ittihad, Vasco e Avaí. No time catarinense, vem se destacando na Série B, tendo contrato até o encerramento da segunda divisão nacional, no fim de janeiro.

"Não estivemos diretamente juntos nos últimos anos, porque tive de dar sequência na minha carreira, mas o sentimento permanece, e a gratidão será eterna. Ao clube, gigante, e ao torcedor, pelo respeito, carinho e força que me transmitiu num dos momentos mais complicados, quando lesionei o joelho às vésperas dos Jogos Olímpicos. Enfim. Aqui fica registrado o meu muito obrigado por estes sete anos de relação. Saio maior do que cheguei, pessoal e profissionalmente. E por onde for serei um torcedor colorado", concluiu.

Últimas