'Sei que o momento difícil, mas estou feliz por poder lutar', diz Glover Teixeira

O segundo evento do UFC durante a pandemia acontece nesta quarta-feira, em Jacksonville, nos Estados Unidos. A luta principal será entre Glover Teixeira e Anthony Smith. O brasileiro vem de uma sequência de três vitórias consecutivas e espera subir no ranking dos meio-pesados - atualmente ele está na oitava colocação.

Em entrevista ao Estado, Glover diz que não pensava em lutar agora, "mas sabia que mais cedo ou mais tarde iria acontecer". "Não achava que seria por agora. Sei que o momento é difícil, mas as coisas já estão começando a abrir aqui no país, os eventos vão começar a acontecer. Eu continuei treinando".

O mineiro entra na lista de lutadores que concordam com as decisões de Dana White, presidente da organização. "Eu confio no UFC, são muito profissionais e, com certeza, se estão fazendo o evento, ainda mais com respaldo do governo da Flórida, é porque existe todo o cuidado e segurança possíveis", afirma.

Ele conta que tem passado o período de quarentena isolado em casa, tentando ler livros, vendo TV e treinando. "Tenho a minha própria academia, que está fechada para o público. Então eu só abro para treinar. Montei um grupo de quatro pessoas e abrimos para treinar apenas."

Glover acredita que pode entrar no Top 5 da sua categoria caso conquiste a vitória sobre Anthony Smith. Com o resultado positivo, a ideia é buscar novamente uma chance de disputar o cinturão da organização.

"Acredito na minha vitória e é bom poder lutar. O difícil será não ter plateia e estar vivendo essa momento de pandemia, que todos estão com medo. Mas estou feliz por poder fazer o que eu amo", complementa.