Saint-Étienne vence com gol nos acréscimos e faz final com PSG na Copa da França

O Saint-Étienne será o adversário do Paris Saint-Germain na decisão da Copa da França. Nesta quinta-feira, em um jogo com final emocionante, o time do técnico Claude Puel superou o Rennes por 2 a 1, de virada, com um gol aos 49 minutos do segundo tempo. Ryad Boudebouz saiu do banco para ser o herói.

Após o árbitro Antony Gautier encerrar o jogo, os torcedores locais invadiram o gramado do estádio Geoffroy-Guichard para comemorar com os jogadores. A decisão do título será no dia 25 de abril, no Stade de France, em Saint-Denis. A eliminação do Rennes impediu uma repetição da final da temporada passada.

O Saint-Étienne jogou melhor e criou mais chances no primeiro tempo - foram dez finalizações contra quatro do rival -, mas quase foi para o intervalo perdendo. O Rennes foi mais eficiente e abriu o placar aos 32 minutos. M'Baye Niang cobrou pênalti sofrido pelo brasileiro Raphinha com perfeição, no centro do gol, no alto, sem chance para o goleiro Jessy Moulin.

A insistência do Saint-Étienne, enfim, foi premiada. Aos 43 minutos saiu o gol de empate. Lois Diony saiu da área para trabalhar pelo lado direito e acertou ótimo cruzamento na cabeça de Kolodziejczak. O zagueiro, que estava atuando na lateral, ganhou de Steven Nzonzi e tocou para superar o goleiro Edouard Mendy, que, naquele momento, era um dos melhores em campo.

O panorama não mudou muito no segundo tempo. O Saint-Étienne tinha o domínio das ações, criava oportunidades, mas falhavam nas finalizações. O Rennes atuava mais recuado, aguardando qualquer chance para contra-atacar. Neste cenário, melhor para o time da casa, que pressionou até o final e chegou ao gol da classificação.

Ryad Boudebouz, que havia entrado aos 36, foi o herói ao marcar aos 49 minutos. William Saliba avançou e tocou para Denis Bouanga, que limpou o lance na entrada da área e, ao perceber Boudebouz melhor posicionado, permitiu ao companheiro finalizar de pé esquerdo, sem chance para o Edouard Mendy.