Rival do Figueirense, Juventus-SC tem parte do seu estádio atingido por ciclone

O Juventus, de Jaraguá do Sul, foi mais um clube catarinense atingido pelo "ciclone bomba" que passou por Santa Catarina na última terça-feira. Adversário do Figueirense nas quartas de final, o time teve parte do seu estádio atingido. As fortes rajadas de vento derrubaram telhas e até mesmo um muro na parte superior das arquibancadas.

"Em Jaraguá do Sul, onde estamos, o vento forte causou estragos em diversos pontos da cidade e no estádio João Marcatto também contabilizamos o prejuízo. Parte de um muro caiu por causa da força do vento e outros danos como queda de telhas e lonas também foram registrados. A boa notícia é que ninguém se feriu", disse a nota oficial do Juventus.

O estádio João Marcatto receberá o primeiro duelo das quartas de final contra o Figueirense no próximo dia 9, às 18h30, pelas quartas de final do Estadual. Como o jogo será com portões fechados, a Federação Catarinense de Futebol (FCF) não deverá interditar o local. A volta será quatro dias depois, no mesmo horário, em Brusque (SC), uma vez que o time de Florianópilis está proibido de atuar em seu estádio, o Orlando Scarpelli.

"A diretoria do clube está reunida para verificar as ações que serão tomadas para reerguer a ala afetada e agradece desde já todo o apoio que vem recebendo da torcida", prosseguiu o Juventus em comunicado oficial.

O Marcílio Dias foi outro clube catarinense atingido pelo "ciclone bomba". O clube de Itajaí (SC) teve parte da estrutura do seu campo sintético derrubada. Gelson Silva, coordenador técnico e ídolo do clube, foi atingido na cabeça e levou 15 pontos, mas passa bem.