Esportes Rafael Cabral elogia o ídolo Fábio, mas fala em escrever sua história no Cruzeiro

Rafael Cabral elogia o ídolo Fábio, mas fala em escrever sua história no Cruzeiro

Substituir um ídolo da torcida, multicampeão, e titular nas últimas 17 temporadas em um clube é missão das mais complicadas. Mesmo assim, Rafael Cabral aceitou o desafio de vir para o Cruzeiro para assumir a vaga de Fábio. Apresentado nesta sexta-feira, o novo camisa 1 reverenciou o antecessor e prometeu escrever sua história em Belo Horizonte.

"Venho aqui para construir a minha história. Venho com muita vontade e determinação para escrever meu nome na história do clube", afirmou o goleiro de 31 anos, sempre fazendo questão de frisar que não teme a sombra de Fábio, agora defendendo as cores do Fluminense após não conseguir um acordo para renovação.

"A história do Fábio é insubstituível no clube. Para o torcedor cruzeirense, não tenho a intenção de substituí-lo. Não venho com a pretensão de substituí-lo. Venho para construir minha história", enfatizou. "Venho com zero história, mas com muita vontade e determinação. Não encaro como substituição, mas sucesso", previu.

Rafael mostrou bastante conhecimento sobre a carreira de Fábio e sua apresentação acabou se tornando uma grande homenagem ao jogador com mais partidas pelo clube: 976 aparições.

"Ele é insubstituível. Um cara que todo mundo admira. Atletas e torcedores de outros clubes admiram. Eu sou fã dele. E, para mim, é uma honra ser escolhido pelo Cruzeiro para jogar pós ele", discursou. "Para mim, uma honra dar o seguimento ao trabalho que ele fez. Não venho para substituir a história de ninguém, e a dele é inacreditável e linda. Venho para escrever minha história. Assim como ele não substituiu a história de outros goleiros, como Gomes, Dida, Raul Plasmann, Paulo César Borges. Vários goleiros que passaram por aqui. Venho construir minha história com muita humildade, muito trabalho e muita vontade."

Rafael aproveitou para explicar o motivo de ter deixado o inglês Reading. "Comecei a temporada, o nosso clube estava com muitos problemas e não começamos a temporada bem. Tive uma lesão na mão, o time ganhou, fiquei um jogo fora. Treinador me chamou, disse que queria dar continuidade ao goleiro", falou. "Sou movido por desafios e senti que seria uma temporada de poucos jogos. Quero sempre brigar por coisas grandes e esse foi o motivo de ter saído e acertado com o Cruzeiro . Quero ser protagonista nos clubes junto com meus companheiros."

Últimas