Enfim, os protocolos que podem levar à ressurreição do Calcio

Definidos os três pontos básicos para o retorno do Futebol na Itália, uma análise rápida de como a Covid-19 já afetou os vinte clubes da Série A

Na cena, um toque de esperança

Na cena, um toque de esperança

Reuters/Yara Nardi

Ao menos três semanas de idas e vindas, de negociações confusas a envolverem o Ministério da Saúde, o Comitê Olímpico, a Federcalcio, a Liga de Clubes, a Associação dos Jogadores, a Associação de Treinadores e até mesmo a Associação de Árbitros. Mais os patrocinadores e, claro, as redes de TV. Na costura das análises, das propostas, e das sugestões eventuais, o inefável e decisivo CTS, ou o Comitê Técnico-Científico que o governo de Giuseppe Conte, o premiê da Itália, instaurou em função da enorme crise que a Covid-19 disseminou planeta afora. Enfim, na noitinha deste “Lunedì”, a segunda-feira, 18 de Maio de 2020, as autoridades do Calcio anunciaram os protocolos que deverão determinar as suas próximas ações e definir o futuro.

O ministro Spadafora e Gravina, da FIGC

O ministro Spadafora e Gravina, da FIGC

Padova Sport

Eram as 21h00 na Bota quando o gabinete de Vincenzo Spadafora, o Ministro da Saúde, acusou o recebimento de um documento de uma dúzia de páginas no qual o Calcio manifesta a sua concordância integral diante de todas as exigências oficiais. Sempre cauteloso, Spadafora afirmou a sua intenção de se decidir o mais depressa possível pela aprovação do plano. Mas, também deixou transparente a compulsória imperiosidade de se chegar a uma solução sem cicatrizes. Caberá exclusivamente ao CTS avalizar, autorizar, talvez até a próxima sexta, dia 22, as medidas que os protocolos consideram viáveis. E que se dividem sinteticamente em três parcelas muito bem definidas.

O Hotel da Juventus, em Turim

O Hotel da Juventus, em Turim

juventus.com

1.
Realização de exames moleculares, em todo o grupo, dos atletas aos funcionários de cada clube, de 72 até 96 horas antes da sua congregação em CT, concentração, hotel ou o equivalente de alojamento. Repetição da mesma bateria de testes, a tempo zero, antes de cada treino coletivo. E a sua repetição a cada quatro dias. Os exames sorológicos, para a pesquisa de anticorpos, acontecerão, a tempo zero, antes do primeiro coletivo. Daí, repetição a cada catorze dias, até que se obtenha um grupo sanitariamente correto, de acordo com as normas de contenção da pandemia.

Cristiano Ronaldo e a máscara de proteção com as cores da Itália

Cristiano Ronaldo e a máscara de proteção com as cores da Itália

@cristiano

2.
Suspensa a idéia da concentração blindada, do grupo sem qualquer contato com o seu exterior. Os integrantes de cada grupo, dos atletas aos funcionários, invariavelmente de acordo com as regras anti-contágio, deverão se dirigir, ao endereço do treino, com os seus próprios meios, assim como deverão, encerrada cada sessão, da mesma maneira voltar às suas moradias, sempre equipados com máscaras e, até, as luvas descartáveis. É aconselhável que se evitem táxis e correlatos. Cada Departamento Médico zelará pelo justo e adequado cumprimento das regras fundamentais de anti-contágio.

No Lecce, um teste molecular

No Lecce, um teste molecular

Reprodução Lecce

3.
Ao menor sinal de positividade nos exames, atletas e/ou funcionários serão imediatamente isolados. Em relação aos “contatos por proximidade”, absolutamente todos os integrantes de tal grupo serão imediatamente entregues ao controle do Departamento Médico e se submeterão, de 48 em 48 horas, por duas semanas, a testes moleculares. Também se submeterão aos sorológicos, de repetição em dez dias ou de acordo com as orientações específicas do CTS. Aos isolados, mais os “contatos por proximidade”, estarão vedados, até liberação formal, os encontros e as reuniões. O DM do clube, entretanto, poderá permitir que preservem as atividades físicas individuais.

Arrumação pré-jogo, dia 13 ou dia 20?

Arrumação pré-jogo, dia 13 ou dia 20?

Lega Calcio

Na boa expectativa de que tudo funcione perfeitamente, a Liga de Clubes imagina a ressurreição da Série A para 13 de Junho. E também imagina que, até lá, esse conjunto de entidades, hoje empenhadas na retomada, consiga fixar as garantias essenciais de higiene e de sanitização. Ainda há a possibilidade de um recomeço no dia 20. Só que, nesse caso, o calendário se comprimirá dolorosamente, os jogos a se acumularem duas vezes por semana. Com o reinício no dia 13, sobreviverão algumas datas para a Copa Itália. Mas, com o recomeço no dia 20, nada de Copa em 2020. 

Eis um resumo de como a Covid-19 afeta cada clube:

Marco Sportiello, da Atalanta

Marco Sportiello, da Atalanta

L'Eco di Bergamo

ATALANTA DE BÉRGAMO
Contaminado em Março, em 22 de Abril o seu arqueiro Marco Sportiello re-acusou a presença do vírus. Apenas agora em Maio foi liberado, de vez. Exames efetuados no grupo, dia 13, não atestaram qualquer contagiado. 

BOLOGNA
No dia 14 o clube informou o êxito absoluto dos exames moleculares. Nenhum contagiado. Preferiu, no entanto, não revelar os resultados dos sorológicos. Não se sabe se alguém foi infectado e depois se recuperou.

BRESCIA
Exames sorológicos, efetuados no dia 12, não indicaram nenhum contagiado e/ou curado. Nenhum, aliás, além do seu presidente, o polêmico e falastrão Massimo Cellino, que já fora o dono do Cagliari e do Leeds da Inglaterra. Depois de uma auto-quarentena, Cellino foi liberado.

Cellino, hoje Brescia, com uma bandana do Cagliari

Cellino, hoje Brescia, com uma bandana do Cagliari

Nuova Sardenga

CAGLIARI
Nesta segunda, dia 18, no CT de Asseminello, o grupo todo passou por uma segunda bateria de moleculares e sorológicos. Até agora, nenhum positivo.

FIORENTINA
Cutrone, Pezzella e Valhovic, infectados em Março, já estão curados. Em 4 de Maio, todavia, depois de três fases de exames, apareceram mais seis casos de infecção: três atletas e três membros da retaguarda. O clube não quis divulgar os nomes. Cáceres admitiu que foi um dos contaminados. Mas está curado.

GENOA
Os testes não revelaram qualquer infectado.

INTERNAZIONALE
Depois de duas rodadas intensas, completíssimas, de exames, nenhum sinal de contágio entre atletas, comissão técnica e funcionários.

Daniele Rugani, da Juventus

Daniele Rugani, da Juventus

juventus.com

JUVENTUS
Daniele Rugani, um reserva de meio-campo, acusou o Novo Coronavírus logo depois do prélio em que a Juve sobrepujou a Inter, 2 X 0, em 8 de Março. Michela, a sua mulher, grávida, se declarou infectada, porém, no dia 16. Ou seja, muito provável que Rugani já fosse um portador da moléstia na data da peleja, quando ficou no banco. Em seguida, também Blaise Matuidi e Paulo Dybala pegaram a Covid-16. De todo modo, todo o grupo da Senhora se submeteu a testes no dia 12, nenhum positivo. E também estão ilesos os retardatários Cristiano Ronaldo, Higuaín e Rabiot, que haviam viajado aos Açores, à Argentina e à França, aprovados em seus exames no dia 16.

LAZIO
Forçado pelo seu dono & presidente, o bizarro Claudio Lotito, o elenco da “Águia” da capital foi o primeiro a se reapresentar, no dia 7 de Maio. Aparentemente, contágio zero, no time ou na retaguarda. Lotito se tornou alvo de uma investigação, pela Federcalcio e pelo Governo, após o diário “Corriere della Sera” o denunciar por promover um coletivo secreto, irresponsavelmente, ainda durante a quarentena obrigatória.

LECCE
Negativos os testes efetuados neste final de semana.

Paolo e Daniele Maldini, pai e filho com a Covid-19

Paolo e Daniele Maldini, pai e filho com a Covid-19

Reprodução Milan

MILAN
Ainda em Março, o antológico Paolo Maldini, ex-craque e agora DT do “Diavolo”, e seu filho Daniele, da equipe Primavera, simultaneamente contraíram a Covid-19 mas logo se recuperaram. O presidente Paolo Scaroni chegou a dizer que havia outros contagiados no clube. Dia 9 de Março, contudo, a sua diretoria o desmentiu. Monitorado, só, o marfinense Kessie, que acaba de voltar da África, onde a pandemia é uma incógnita.

NAPOLI
Três rodadas de testes, sem nenhum caso de infectação.

PARMA
Sabe-se que dois jogadores, depois de um exame inicial, se revelaram positivos, e que os resultados do segundo foram negativos. O clube optou por não divulgar os seus nomes. Apenas garante que estão em isolamento. Inútil essa postura, esconder. A mídia obviamente descobrirá.

ROMA
Pioneira nos cuidados com os seus contratados, a Roma faz testes constantes, em atletas e em funcionários, desde Abril. Até agora, nenhuma positividade.

Gabbiadini, um dos dez infectados da Samp recordista

Gabbiadini, um dos dez infectados da Samp recordista

Sampdoria Calcio

SAMPDORIA
Uma recordista da Série A da Bota, em Março a esquadra “blucerchiata” padeceu o infortúnio de sete contagiados: Bereszynski, Depaoli, Ebrima Colley, Ekdal, Gabbiadini. La Gumina e Thorsby. Posteriormente, outros três atletas não passaram nos testes moleculares. Até que, agora, nos exames do último sábado, todos apareceram afortunadamente recuperados.

SASSUOLO
Zero contágio entre atletas, funcionários e seus parentes.

SPAL
Nos testes mais recentes, dia 13, contágio zero.

TORINO
Duas etapas de exames. Na primeira, entre 5 e 7 de Maio, apareceu um positivo cujo nome o clube não informou. Apenas anunciou que permanecerá em quarentena até o próximo dia 21. Bobagem esconder. Alguém já sabe, e é fácil comprovar. Fará novo teste nesta quarta, dia 20.

UDINESE
Por um comunicado oficial, distribuído pela Mídia e, ainda, às chamadas “Redes Sociais”, no último sábado, garantiu que todos os seus profissionais, devidamente submetidos aos exames moleculares e sorológicos, deram resultados negativos. Parabéns à sua diretoria pela transparência.

VERONA
Um só infectado, o volante Zaccagni, de acordo com os exames por que passou em Março. No final de Abril, os testes duplos constataram a sua plena recuperação. Daí, depois de outras duas rodadas que a agremiação proporcionou à sua brigada, não aconteceu mais nenhuma positividade.


Gostou? Clique em “Compartilhar”, em “Twittar”, ou deixe a sua opinião em “Comentários”. Obrigado. Fique em casa, que eu fico a dever um abração!