Cosme Rímoli 'Você é burro?' Ataque público de Mano a Yuri não desvia o foco. Sem rumo, Corinthians, com um a mais, perdeu para o São Bernardo

'Você é burro?' Ataque público de Mano a Yuri não desvia o foco. Sem rumo, Corinthians, com um a mais, perdeu para o São Bernardo

Vivendo o seu pior momento na carreira, Mano segue não conseguindo fazer o Corinthians reagir. Derrota ontem diante do São Bernardo teve fraco futebol do Corinthians. Na terça-feira, o São Paulo

  • Cosme Rímoli | Do R7

'Você é burro?' Pergunta ofensiva de Mano a Yuri Alberto. Enquanto isso, o time perdia para o São Bernardo

'Você é burro?' Pergunta ofensiva de Mano a Yuri Alberto. Enquanto isso, o time perdia para o São Bernardo

Corinthians

São Paulo, Brasil

“Temos que trabalhar todos juntos para recuperar a confiança dele, é duro o treinador ter que buscar soluções e tirar o centroavante é muito difícil, mas é a crueldade do futebol e temos que trabalhar assim.

"O torcedor é paixão, mas temos que nos unir, proteger o jogador para que ele possa retornar a fazer os gols que vinha fazendo."

(Mano Menezes, na noite de quarta-feira, dia 25 de janeiro de 2024, após a derrota do Corinthians para o Ituano.

O assunto era Yuri Alberto)

"Você é burro?"

(Mano Menezes, na noite de sábado, dia 27.

Após nova derrota, desta vez para o São Bernardo.

Questionando, e expondo, de forma ofensiva, Yuri Alberto, o mesmo jogador que ele havia falado 48 horas antes que deveria ser 'protegido'.

Mano Menezes vive o pior momento de sua carreira.

Não vence um título desde 2019. Acumula demissões no Cruzeiro, Palmeiras, Bahia e Internacional.

Silvinho comemora o gol do São Bernardo. Marcando em contragolpe 'vergonhoso', segundo Maycon
Silvinho comemora o gol do São Bernardo. Marcando em contragolpe 'vergonhoso', segundo Maycon Bob Paulino/ Ag. Paulistão - 27.01.2024

O presidente do Corinthians, Augusto Melo, nunca o viu como 'prioridade'. Desde antes das eleições.

Mas sabe que sua multa é assustadora.

O total do contrato até o final de 2025, herança da antiga diretoria.

Contrato longo demais para a ala política que não tinha certeza de seguir no comando do clube.

Mano Menezes está transpirando insegurança.

E desempenho fraquíssimo em 2024.

O Corinthians venceu o Guarani de forma absolutamente injusta, foi sufocado, em plena Itaquera.

Depois perdeu para o Ituano.

E ontem, nova derrota. Desta vez, para o São Bernardo, por 1 a 0, gol de Silvinho.

No estádio 1º de maio, a derrota teve requinte de muita incompetência tática.

O culpado tem apelido e sobrenome.

Mano Menezes.

Desde os 11 minutos do primeiro tempo o Corinthians ficou com um jogador a mais.

O volante Rodrigo Souza fez uma falta tão violenta quanto infantil em Matias Roja, no meio-campo. E foi corretamente expulso.

O Corinthians ficou quase por uma hora e meia, tempo normal mais acréscimos, com 11 jogadores contra dez do São Bernardo.

Nesse tempo, tomou o gol de contragolpe, de Silvinho.

O time foi incapaz de trocar passes, atacar em bloco, envolver o adversário que tinha um atleta a menos. Sem intervenção de Mano, o time começou a levantar a bola na área do São Bernardo, time mais consciente em campo.

A derrota foi mais do que justa.

Ao saber que havia sido flagrado perguntando se Yuri Alberto é burro, Mano Menezes tratou de agir.

O abraço de Mano Menezes a Yuri Alberto. Jogador que ele perguntou se era 'burro'

O abraço de Mano Menezes a Yuri Alberto. Jogador que ele perguntou se era 'burro'

Reprodução/TNT

Foi até ao jogador, o abraçou por um longo tempo, diante das câmeras.

Atitude forçada.

Mano Menezes havia dito na quarta-feira que Raniele precisava descobrir que não estava em Cuiabá. E sim no Corinthians.

Atacar um jogador para desviar o foco de derrotas é péssimo para o ambiente de qualquer clube.

Principalmente no Corinthians.

Mano tentou convencer os jornalistas que no futebol, 'as palavras são fortes'. E perguntar se Yuri Alberto é burro, precisa ser analisado de forma normal.

"As palavras são fortes no futebol, mas nos abraçamos porque sabe que a cobrança não é pessoal. A atitude pode ter sido burra naquele momento, uma falta de ataque, com um homem a mais. Sempre é atitude, não a pessoa.

"Quem deu meio chutinho sabe que é assim. Vamos continuar falar da pessoa do futebol, aí se quiser fazer reality show, vai para outra coisa. Estamos acostumados com a repercussão a rede social. Era em Cuiabá, não no Cuiabá, lá de Cuiabá, esse foi o termo que usei com o Raniele."

Tirando essa atitude agressiva, fica a incrível falta de objetividade, de criatividade do Corinthians, com um jogador a mais diante do São Bernardo. E, pior, perdendo por gol em contragolpe.

Se Mano quis fugir do assunto, Maycon foi sincero.

"É uma vergonha, não podemos estar com um jogador a mais e sofrer contra-ataques. Quem veste a camisa tem que saber o que representa, começando por mim, tem que melhorar, fazer diferente, brigar mais, trabalhar mais, ter leitura rápida de jogo e aproveitar as oportunidades que a gente constrói.

"Precisamos representar essa torcida que vem, canta os 90 minutos e paga ingresso caro para poder assistir a gente. É difícil porque ano passado foi ruim, começamos o ano ruim novamente."

Mano tratou de fazer o possível para diminuir o efeito colateral de mais uma derrota. E outra fraca atuação do Corinthians, como já estava no final de 2023, sob seu comando.

"A derrota tem que ter uma repercussão de tragédia, mesmo sendo terceira rodada de campeonato. Os grandes tiveram dificuldades até quando ganharam, nós que estamos construindo uma equipe do zero temos dificuldade.

"Vamos continuar trabalhando com a mesma lealdade, transparência dos jogadores, sabendo como é, também aceitamos respostas mais fortes. Não criamos crise onde não tem crise. Vamos trabalhar para construir um Corinthians forte. Nosso grupo de jogadores a média de idade é assustadoramente baixa. Não é fácil. Vai colocar o Arthur Sousa para resolver o problema da equipe? É mais difícil", dizia, lembrando o atleta que acabou de vencer a Copa São Paulo de Futebol Junior.

A verdade é que os jogadores estavam mais irritados ontem.

As broncas públicas de Mano Menezes têm deixado tudo pior.

O treinador acabou tentando repassar à falta de calma dos jogadores corintianos a derrota.

Não sua falta de orientação para preenchimento de espaços, ataques em bloco, troca de passes constante em frente à area, desorientando o jogadores do São Bernardo, mais fracos tecnicamente que o Corinthians.

"Quando tomamos o gol, estávamos com um a mais e tomamos dois contra-ataques, precisava ter mais calma. Tivemos dificuldade para entrar no bloco defensivo do São Bernardo. Ficamos com um homem a mais e não deixamos o adversário entrar. Nessa hora tem que jogar naquele bloco defensivo, nossa chegada de área carece de uma presença mais certa.

"Precisamos encher mais a área para criar dificuldades numericamente, para pegarmos sobra de uma bola, se não fica cômodo, eles controlaram bem isso. Isso podemos fazer melhor, independente da nossa construção de equipe."

Discurso ótimo.

Mas atitudes que irritam os seus próprios atletas.

O clima no Corinthians segue péssimo.

Na terça-feira não haverá meio-termo.

Contra o São Paulo, na arena Itaquera.

Ou vitória, para amenizar as cobranças.

Ou derrota, e questionamentos mais sérios a Mano Menezes.

Enquanto isso, a diretoria quer anunciar Pedro Raul, como novo reforço.

Para tentar aliviar as cobranças.

E analisa, com calma, a reação de Mano Menezes...

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas