Cosme Rímoli Virada espetacular. Inter encaminha o título brasileiro

Virada espetacular. Inter encaminha o título brasileiro

Nos últimos minutos, o Inter consegue virada histórica contra o Grêmio. Abre quatro pontos na liderança. Faltando seis rodadas

  • Cosme Rímoli | Do R7

Edenílson marcou o gol aos 52 minutos do segundo tempo. Virada espetacular do líder

Edenílson marcou o gol aos 52 minutos do segundo tempo. Virada espetacular do líder

Ricardo Duarte/Internacional

São Paulo, Brasil

Aos 44 minutos do segundo tempo, a bola voou na grande área.

Cruzamento desesperado do zagueiro Víctor Cuesta.

Abel Hernández surge, de surpresa na grande área, e cabeceia com vontade para as redes.

Gol do Internacional. 

1 a 1.

Aos 49 minutos do segundo tempo.

Cruzamento alto.

Edenílson cabeceia e a bola bate no braço de Kannemann.

Pênalti para o Internacional

O juiz Luis Flavio de Oliveira não titubeou.

Edenílson vai para a cobrança, aos 52 minutos.

Com toda a tranquilidade, ele desloca o goleiro Vanderlei.

Bate no canto esquerdo, enquanto o goleiro cai no direito.

2 a 1 diante do grande adversário, o Grêmio.

De virada.

Oitava vitória do time de Abel Braga.

O Internacional abre quatro pontos de distância do São Paulo, segundo colocado.

Termina com 11 jogos sem vitórias nos Grenais.

Vitória que encaminha o título brasileiro depois de 41 anos para o time colorado.

O Grêmio de Renato Gaúcho, que saiu na frente no jogo, com gol de Jean Pierre, aos 30 minutos do segundo tempo, sentiu o baque. Na sexta colocação, com 11 pontos de diferença do primeiro colocado, o Internacional, primeiro colocado, só resta focar na decisão da Copa do Brasil, diante do Palmeiras.

O sonho do Brasileiro acabou.

Em compensação, para o time de Abel Braga, nunca esteve tão vivo.

A rodada foi importantíssima. E colorada.

A começar pelo sábado. Com o vexame do São Paulo, no Morumbi, empatando com o fraquíssimo Coritiba. Também ontem, o Atlético Mineiro, de Sampaoli, com seu elenco de mais de R$ 140 milhões, perdeu para o limitado Vasco, por 3 a 2.

Hoje, o atual campeão brasileiro, Flamengo, com seus jogadores importantes, perdeu para o Athletico Paranaense, por 2 a 1. E ficou a sete pontos de distância.

Até o Palmeiras que chegou a ter ambição de vencer a Libertadores e a Copa do Brasil, além do Brasileiro, não tem mais direito nem a pensar. Com os reservas perdeu para o Ceará e fica, ao lado do Grêmio, a 11 pontos de distância.

"(A virada contra o Grêmio) Representa muita coisa. Temos passado por muita coisa nos últimos anos. Trabalhamos todos os dias. Estou há mais tempo e sei a responsabilidade que é. Fico muito feliz em contribuir. Esperamos coroar no final. Seguiremos trabalhando.

"Viramos um jogo que parecia perdido, mas não ganhamos nada ainda", alertava misturando euforia e muita consciência, Edenílson, ao final do jogo no Beira-Rio.

O Internacional tem seis jogos importantíssimos para definir o título nacional.

Red Bull Bragantino, em casa; Athletico Paranaense, fora; Sport, em casa; Vasco, fora; Flamengo, fora; e o Corinthians, em casa.

Desses 18 pontos em jogo, se ganhar 15 será campeão.

Ou seja, tem até o direito de perder um jogo.

Abel Hernández cabeceia para as redes. O empate no Grenal, aos 44 minutos do segundo tempo

Abel Hernández cabeceia para as redes. O empate no Grenal, aos 44 minutos do segundo tempo

Ricardo Duarte/Internacional

O Grenal de número 429 deixou a emoção para o final.

Tanto Renato Gaúcho como Abel Braga montaram suas equipes com muita precaução. Os dois vividos treinadores sabiam muito bem da importância de vencer o jogo. Fortaleceria a esperança da conquista do título brasileiro. E também de perder, traria o peso de abandonar a competição nacional. 

O Internacional enfrentava também enorme trauma. Só de quem é do Rio Grande do Sul sabe. A metade vermelha de Porto Alegre lastimava 11 Grenais sem vitórias. Por não vencer o clássico, o argentino Eduardo Coudet teve seu trabalho questionado pela imprensa local, fator que teve muito peso na sua demissão e ida para o minúsculo Celta de Vigo.

Abel Braga tinha um plano traçado. Sufocar o Grêmio, marcar o primeiro gol para tirar o peso das costas de seus jogadores. E obrigar o time de Renato Gaúcho a se abrir, para explorar os contragolpes.

O Internacional pressionou como pôde por 15 minutos de jogo. Parecia que iria encurralar o Grêmio. Mas depois do susto inicial, Renato equilibrou a partida, compactando mais seu time. Acabando, na origem, no meio de campo, a animação do grande rival. 

O que se viu em todo primeiro tempo foi o domínio colorado, mas sem objetividade. Porque o Grêmio não oferecia, por exemplo, o espaço que o São Paulo deu. Seus atletas entraram para jogar com muita competitividade. 

A rivalidade se impunha.

A melhor chance aconteceu aos 34 minutos, quando Yuri Alberto ficou sozinho, depois de ótimo passe de Praxedes. Ele chutou, Vanderlei tocou na bola, que beijou o travessão.

Aos 36 minutos, um lance que mexeu com a zaga gremista. O capitão Pedro Geromel, que enfrentou várias contusões, teve outra. Ele torceu muito feio o tornozelo direito. E caiu chorando. Teve de ser substituído por Rodrigues.

A sensação térmica de 40 graus em Porto Alegre obrigou os dois times a diminuírem o ritmo de jogo.

As palpitações ficaram para o segundo tempo.

E o Grêmio foi muito melhor, porque Renato Gaúcho adiantou suas linhas e ganhou o meio-campo. Os jogadores do Internacional estavam mais desgastados e nervosos.

Abel Braga demorou para tomar atitude.

Quando ia reforçar seu time, tomou o gol.

Lucas Ribeiro fez enorme bobagem, levando a bola até perdê-la na intermediária gremista. O contragolpe foi fulminante. Diogo Barbosa deu uma arrancada fulminante e descobriu Diego Souza na grande área. O toque foi genial, de primeira, para Jean Pyerre. Livre diante de Marcelo Lomba, o chute foi para as redes. Grêmio 1 a 0, aos 30 minutos.

Jean Pierre marcou o gol do Grêmio. A esperança de renascer no Brasileiro durou pouco

Jean Pierre marcou o gol do Grêmio. A esperança de renascer no Brasileiro durou pouco

Grêmio

Abel Braga fez, finalmente, suas trocas. Colocou Marcos Guilherme no lugar de Praxedes e tirou Patrick, em dia péssimo, colocando Abel Hernández.

Renato Gaúcho recuou seu time esperando contragolpes, que o Internacional poderia oferecer, já que buscaria o empate.

E foi o que o time colorado fez.

Tratou de comprar a briga, adiantar todo seu time.

Não poderia perder o jogo, permitir que o rival renascesse.

E as bolas aéreas, que Abel Braga tanto gosta, que veio a virada impressionante.

Abel Hernández e Edenílson cabecearam aos 44 e 49 minutos do segundo tempo.

E conseguiram o empate e o pênalti.

Graças aos dois gols, o Internacional é mais líder do que nunca.

Edenílson teve muito sangue frio. Pênalti cobrado com destreza. Aos 52 minutos. Virada

Edenílson teve muito sangue frio. Pênalti cobrado com destreza. Aos 52 minutos. Virada

Ricardo Duarte/Internacional

Tem quatro pontos, faltando seis partidas.

É uma vantagem excelente.

E que encaminha o clube ao título, depois de 41 anos.

Desde 1979, o Inter não sabe o que é ter a hegemonia no país.

A chance é fabulosa.

A rodada de hoje foi excepcional para o time de Abel.

Mas vencer o Grenal conseguiu ser ainda melhor...

Últimas