Cosme Rímoli Vexame do Corinthians contra lanterna paraguaio. Mancini conformado

Vexame do Corinthians contra lanterna paraguaio. Mancini conformado

O Corinthians empatou ontem contra o River Plate, último colocado no Campeonato Paraguaio. Estreia na Copa Sul-Americana foi constrangedora

  • Cosme Rímoli | Do R7

Corinthians, sem criatividade. Travado facilmente pelo último colocado do Paraguai

Corinthians, sem criatividade. Travado facilmente pelo último colocado do Paraguai

Rodrigo Coca/Corinthians

São Paulo, Brasil

Doze jogos.

Uma vitória. Três empates. Oito derrotas.

Três treinadores.

Lanterna, último colocado do Campeonato Paraguaio.

O Corinthians, bicampeão mundial, não conseguiu vencer o River Plate, em Assunção.

E fez da sua estreia na Copa Sul-Americana um fiasco.

Time sem criatividade, sem força ofensiva, sendo anulado pela pior defesa do Paraguai, que tomou 24 gols nos 12 jogos que disputou.

Depois de mais um resultado constrangedor, Vagner Mancini deu suas explicações.

Foi o mais superficial possível.

Não admitiu o péssimo futebol da equipe.

"O Corinthians pecou muito no último terço, não só com as finalizações, mas também com alguns passes que nos dariam oportunidade de melhor finalização.

"Nós tivemos maior domínio de jogo, flutuamos bem entre as linhas do River, mas faltou capricho", disse, sem se aprofundar. 

"O River Plate é uma equipe bem armada. O Corinthians veio para ganhar a partida, levar os três pontos, mas enfrentamos uma equipe bem postada, usou muito o corpo a corpo, das faltas, mas de uma maneira geral nós devíamos ter ganho a partida pelo o que a partida mostrou, e por falhas que poderiam ser decisivas ao nosso favor", disse, tentando ainda enaltecer o desempenho corintiano.

Mancini está conformado.

Sabe que não pode exigir mais do seu fraco elenco.

Mancini conformado. Tentou colocar seu time para atacar. Mas falta capacidade técnica

Mancini conformado. Tentou colocar seu time para atacar. Mas falta capacidade técnica

Rodrigo Coca/Corinthians

O time paraguaio fazia a estreia do seu terceiro treinador na temporada, Celso Ayala.

"É um resultado ruim para nós. A gente manteve a posse da bola, estivemos no ataque, mas faltou isso, o passe final para finalizar no gol. É um empate muito amargo. 

"Perdemos dois pontos que vão fazer muita falta para nós", lamentou Otero.

O meia ainda foi sincero.

O time sabia que enfrentava o último colocado do Campeonato Paraguaio.

Mas que jogou muito a sério.

"Nós nunca menosprezamos nenhum rival. Entramos para ganhar, independente do adversário. Foi um resultado amargo para nós, esperávamos ganhara a partida, mas encontramos uma equipe muito atrás. Ficamos com a bola no pé, mas faltou o passe final para finalizar no gol", lastimava.

O pior é que é verdade.

O Corinthians fez o que pôde para ganhar.

E o que pode com o atual elenco é muito pouco.

Luan (Vitinho); Léo Natel (Gabriel Pereira), Otero (Mosquito) e Jô (Cauê).

Foram estes os responsáveis por tentar marcar um gol no lanterna paraguaio.

E fracassaram, porque quase não criaram.

Por falta de condições técnicas.

O Corinthians mantém esse time por pura falta de condições financeiras.

E vai se submetendo a vexames.

O 0 a 0 contra o River Plate paraguaio foi constrangedor...

Thiago Neves revela atritos de Ceni no Cruzeiro: 'Fez o Dedé chorar'

Últimas