Troco, com juros, da torcida do Atlético, a Thiago Neves. Vetado

Jogador ironizou, desprezou o quanto pôde o Atlético, enquanto estava no Cruzeiro. Diretoria atleticana obrigada a desfazer o contrato com meia

Thiago Neves ironizou o quanto pôde o Atlético. E por isso perde chance com Sampaoli

Thiago Neves ironizou o quanto pôde o Atlético. E por isso perde chance com Sampaoli

Bruno Haddad / Cruzeiro

São Paulo, Brasil

Na mesma semana que começa a venda do livro de Alexandre Mattos, "Tudo Começou Com Um Sonho", onde ele descreve a sua ascensão a executivo de futebol, ele tem papel fundamental em um grande vexame.

A demissão mais rápida da história do futebol brasileiro.

Thiago Neves.

Um dos jogadores que mais ironizou o Atlético Mineiro na história, foi contratado pelo clube que desdenhava.

Com direito a assinatura no documento.

Mas o vínculo durou apenas cerca de cinco horas.

Das 16 horas de ontem, ao assinar um contrato de produtividade até o final do Brasileiro, até as 21 horas, quando o presidente Sergio Sette Camara percebeu o erro que Alexandre Mattos cometeu, a pedido de Jorge Sampaoli, e o negócio foi desfeito.

Por pura revolta de conselheiros, membros da diretoria e, principalmente, da torcida atleticana. 

Sette Camara decidiu recuar até porque haverá eleição em dezembro. E ele terá a fortíssima resistência do ex-presidente e atual prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil.

Thiago Neves colheu o que plantou.

O jogador, que ficou entre 2017 e 2019 no Cruzeiro, virou um especialista em usar as redes sociais para atacar o Atlético Mineiro.

Foram inúmeras vezes que ironizava o rival.

Como na conquista do pentacampeonato da Copa do Brasil, quando dançou e cantou em um vídeo a seguinte música

"Não ganha nada, time sofredor...

"E é assim que eu canto...

"Tomar no ... ,Galooo"

Thiago Neves não perdeu chance para ironizar o Atlético. E pagou o preço

Thiago Neves não perdeu chance para ironizar o Atlético. E pagou o preço

Reprodução Instagram

Na mesma comemoração, desdenhou outra vez.

"Galinhada, para de chorar.

"Deixa a gente comemorar."

Em fevereiro de 2019, dez dias após a queda da barragem de Brumadinho, com 259 mortos e 11 desaparecidos, o jogador teve a coragem de comparar um rompimento de barreira ao rebaixamento do Atlético.

"Barragem que já caiu uma vez assusta moradores de Vespasiano e região. Atenção aí pessoal", se referindo à queda em 2005.

Inclusive com uma foto do Centro de Treinamento do Atlético Mineiro.

É inacreditável que Alexandre Mattos não tenha levado em consideração o desrespeito de Thiago Neves ao clube.

Veja mais: Luxuosa boate subterrânea. Puma ou Adidas. É Neymar, com covid-19

E cedido ao pedido de Sampaoli.

Mas tudo que fez foi expor o Atlético Mineiro.

Thiago Neves passou dos limites nesta infeliz provocação. Dez dias após Brumadinho

Thiago Neves passou dos limites nesta infeliz provocação. Dez dias após Brumadinho

Reprodução/Instagram

A torcida invadiu as redes sociais para pressionar e avisar: não aceitava o ex-cruzeirense.

A gota d'água foi o vídeo do presidente da principal organizada do Atlético Mineiro, a Galoucura, Josimar Júnior.

Ele avisou.

"A gente é contra. É inadmissível a hipótese desse Thiago Neves, desse safado, vestir a camisa do Atlético. A gente entende que vários clubes têm rivalidade de jogador com outro. Às vezes o jogador veste até a camisa do rival, mas esse cara passou de todos os limites, desrespeitou a torcida do Galo. Esse pilantra não veste a camisa do Galo.

"Nós, torcedores, que mandamos no Clube Atlético Mineiro.

"A gente é quem vai no estádio, paga ingresso. Nós é que temos amor. Dirigente, presidente e funcionário é tudo passageiro. Vamos ver o decorrer disso aí, mas somos contra. É inadmissível esse cara pelo menos sonhar em vestir a camisa do Atlético. Isso aqui é pesado demais para qualquer um vestir, ainda mais esse pilantra.

"Esse é o posicionamento da Galoucura e contamos com todas as organizadas."

Diante de tanta revolta, Sette Camara teve de recuar.

E mandou Alexandre Mattos desfazer o negócio.

Foi o que ele fez.

Thiago Neves, demitido do Grêmio, aos 35 anos, perde uma excelente oportunidade na carreira.

Thiago Neves riu o quanto pôde do Atlético. Agora, rejeitado, não ri mais

Thiago Neves riu o quanto pôde do Atlético. Agora, rejeitado, não ri mais

Reprodução/Sportv

Pedido por um dos grandes técnicos da América Latina.

Tendo a chance de atuar em um dos maiores clubes do Brasil.

Jogou tudo fora.

Com suas estúpidas provocações.

O mundo mudou.

É preciso respeitar o adversário, o rival.

A lição veio cruel, dura.

O habilidoso se sabotou.

Ele mesmo fechou as portas do Atlético Mineiro.

Não havia condições de perdoá-lo.

Mattos e Sette Camara deveriam saber.

Mas descobriram a óbvia rejeição dos torcedores.

Thiago Neves não pisa na Cidade do Galo...

Curta a página do R7 Esportes no Facebook

Neymar e muitos outros: relembre episódios de racismo no futebol