Cosme Rímoli O ótimo Lisca. Preso ao personagem' Doido', assume o Vasco

O ótimo Lisca. Preso ao personagem' Doido', assume o Vasco

Devendo cerca de R$ 900 milhões, o Vasco luta para tentar fugir da Segunda Divisão. E apresenta seu novo treinador. Lisca Doido. Um ótimo técnico prisioneiro de um personagem

  • Cosme Rímoli | Do R7

Lisca Doido dança para a torcida. Por trás do personagem, um técnico em evolução

Lisca Doido dança para a torcida. Por trás do personagem, um técnico em evolução

Náutico

São Paulo, Brasil

Luiz Carlos Cirne Lima de Lorenzi, 48 anos.

Por que Lisca?

"Quando a minha mãe e o pai namoravam, um amigo em comum que ajudou a formar o casal tinha esse apelido de 'Lisca'. E meus pais se casaram e tal... E quando a minha mãe ficou grávida, disse que daria o nome a mim de Luiz Carlos, em homenagem ao meu tio-avô e o apelido de 'Lisca' por causa do cupido deles lá.

Porque Lisca Doido?

"A torcida do Juventude tem um canto com o mascote do time, que diz: 'Papo, papo, doido'. E quando eu cheguei lá, o clube tinha passado por muitos descensos, muitas frustrações. Para falar a verdade, o torcedor estava até com vergonha de botar a camisa do clube. Então, comecei a vibrar, a chamar a torcida em pequenas situações de vitórias e fechamos junto com a torcida", disse.

"O torcedor, então, criou o grito de guerra me chamando de doido. Comecei a ser idolatrado e eu sentia a necessidade dessa liderança. Então, a gente fez esse trabalho e o 'Lisca doido' era muito carinhoso."

Escravo do personagem que criou, Lisca Doido assumiu o Vasco da Gama hoje. Deu o maior passo na sua carreira de vinte anos. Ele sonhava comandar um gigante do futebol brasileiro.

Por mais que incentive essa postura de animador de torcida, na verdade, ele tem profundidade, conhecimento tático, físico e psicológico. Fez excelentes trabalhos na base do São Paulo Futebol Clube e no Internacional de Porto Alegre. Houve até um duelo entre os clubes para ter o técnico no final da década de noventa e início dos anos 2000.

Com personalidade forte, ele resolveu assumir o futebol profissional. Montando equipes competitivas, de intensidade, força física e modernas taticamente.

Lisca, buscando uma imagem mais séria, assumindo o Vasco. A grande chance na carreira

Lisca, buscando uma imagem mais séria, assumindo o Vasco. A grande chance na carreira

Vitor Brügger/Vasco

Outra vez o personagem, que serve tão bem para análises superficiais, principalmente no jornalismo esportivo na televisão, que se confunde com humorismo, não deixa à vista o lado muito sério. Observador atento da evolução tática na Europa, ele estuda e a aplica nos clubes que treina.

Sua última equipe, antes de assumir o Vasco, é um retrato. Ficou entre 2020 e 2021 e transformou fez o clube mostrar futebol altamente competitivo. O time só não venceu a Série B, em 2021, pelo saldo de gols. Ficou atrás da Chapecoense. Foi vice campeão mineiro, depois de empatar em 0 a 0, dando sufoco no milionário elenco atleticano. 

Levou o clube à uma inédita semifinal de Copa do Brasil. Eliminando o Corinthians e o Internacional. Só parando no Palmeiras.

O trabalho foi excelente. Conseguiu montar um ótimo time. Quando a diretoria teve de vender jogadores importantes e não conseguiu trazer atletas do mesmo nível, houve desgaste. E Lisca saiu.

Livre no mercado, virou um nome analisado por clubes importantes. Internacional, Corinthians e Santos. Mas o personagem 'Doido' atrapalhou. E seu nome foi vetado.

Luis Carlos decidiu que chamaria a atenção da mídia tomando atitudes exageradas. Subindo em alambrados, para comemorar vitórias, com a torcida. Dançando no meio de campo. Mas sempre de olho onde as câmeras de tevê, se o estavam filmando. Ele é mesmo extrovertido. Mas muito sagaz, inteligente. Conseguiu mídia.

Lisca. Sempre atento onde as câmeras de televisão estão nos jogos. Precisa consolidar o personagem

Lisca. Sempre atento onde as câmeras de televisão estão nos jogos. Precisa consolidar o personagem

Reprodução/Sportv

Recusou o grande Botafogo, que está sem estrutura alguma.

E lutará, ao lado do Cruzeiro, para escapar da Série C.

Mas chegou o convite do Vasco e ele entendeu que pode impor sua filosofia no elenco limitado que o clube pode oferecer. Aceitou a aposta. Ganhou os holofotes. Não só da Série B. Mas da Copa do Brasil. Há o confronto pelas oitavas-de-final, contra o poderoso elenco do São Paulo. Os vascaínos entram como franco atiradores. Se conseguir a vaga ou, ao menos dificultar ao máximo para o time de Hernán Crespo, mais um pouco de prestígio, respeito para Lisca.

O Vasco da Gama deve mais perto de R$ 900 milhões. O balanço de 2020 apontava dívidas de R$ 832 milhões. Já se passaram sete meses. E o lado financeiro só piorou.

Lisca não priorizará o lado técnico, mas físico. Sabe que a Segunda Divisão é uma disputa que mistura tática e músculos. Talento fica para a Série A.

Mas na coletiva de sua apresentação, hoje, todos queriam saber do personagem. Não do treinador estudioso. 

E Luis Carlos não se negou. 

Entregou Lisca Doido, em São Januário.

"Eu sou doido, mas sou doido pelo que faço, sou apaixonado pelo que faço. Descobri muito cedo a minha vocação, eu tinha 18 anos quando comecei a ser treinador nas escolinhas do Inter. E mudou completamente minha vida, meus paradigmas, pude conviver com uma série de pessoas totalmente diferentes do meu meio. Isso me identifica com o Vasco, a história do Vasco é linda, todos nós conhecemos, desde a renúncia histórica.

"Minhas filhas enlouqueceram com a história do Vasco, tenho uma de 15 e outra de 12 anos, e essa geração é muito engajada nas causas. Elas falaram: "Vamos pro Vasco, pai. É o Vasco, pai". Já vai acendendo essa doideira de paixão. Vivo o futebol com muita intensidade.

"O futebol mudou minha vida, propicia que eu possa ser um pai de família e que eu propicie situações para as minhas filhas e minha esposa que talvez jamais imaginamos. Acho que minha doideira vem muito disso."

Ele assinou um contrato de risco. Só até o final de 2021. Ou seja, ou ele tira o Vasco da Série B, ou irá embora. Simples assim.

Lisca comemorando uma vitória. Qual torcida não quer um técnico tão envolvido?

Lisca comemorando uma vitória. Qual torcida não quer um técnico tão envolvido?

Reprodução/Sportv

Luis Carlos enxergou além. Ele estará livre, sem multa, se conseguir fazer o Vasco subir, ou ter uma campanha digna. Poderá ir para outro clube em melhor situação financeira. Sem drama.

Mas na coletiva, a indefectível promessa que o Lisca Doido teria de fazer.

"Se subirmos, vamos ver o que vai acontecer. Mas que nós vamos enlouquecer, nós vamos. Nós vamos endoidecer. Que nós vamos endoidecer, nós vamos."

O Vasco está em nono na Série B. Dez pontos longe do líder Náutico. Mas só quatro do quarto colocado, o Goiás. O time, com apenas um treino de Lisca, enfrentará amanhã, em São Januário, o Guarani, terceiro na classificação geral.

Será um grande teste logo no início do trabalho.

Se era atenção que Lisca queria, conseguiu...

Veja 7 motivos para acreditar na seleção brasileira em Tóquio 2020

Últimas