Cosme Rímoli O absurdo calote de R$ 500 mil do Atlético sobre o Avaí

O absurdo calote de R$ 500 mil do Atlético sobre o Avaí

Clube mineiro prestes a gastar R$ 120 milhões em contratações, fora bancar o caríssimo Sampaoli. Mas diretoria desdenha dívida de R$ 500 mil a Avaí

  • Cosme Rímoli | Do R7

Atlético contrata Sampaoli. Gasta R$ 120 milhões no time. E não paga R$ 500 mil

Atlético contrata Sampaoli. Gasta R$ 120 milhões no time. E não paga R$ 500 mil

Atlético

São Paulo, Brasil

"A dívida do Atlético, hoje, gira em torno de R$ 450 milhões.

"Mais a dívida tributária, que gira em torno de R$ 230 milhões.

"A dívida (total) do Atlético beira os R$ 700 milhões."

A afirmação feita no mês passado foi do próprio presidente do Atlético Mineiro, Sérgio Sette Câmara.

O clube atualmente deve um mês de salários e dois de direito de imagem.

E mesmo assim, o clube já contratou volante Léo Sena, ex-Goiás, por R$ 4 milhões, o meia Alan Franco, do Independiente del Valle, por cerca de R$ 6 milhões, além de Marrony, por R$ 19,7 milhões.

Além de encaminhar a contrataçãodo atacante Keno, do Pyramids do Egito, e do zagueiro argentino Junior Alonso, emprestado pelo Lille da França ao Boca Juniors.

Confirmados Keno e Junior Alonso, o  Atlético Mineiro terá gasto R$ 120 milhões em contratações.

Além do caríssimo salário de Jorge Sampaoli, que os veículos de comunicação mineiros insistem que é de R$ 1,2 milhão. Dinheiro que o Palmeiras se recusou a gastar.

O dinheiro, de acordo com Sette Câmara, vem dos patrocinadores BMG e MRV.

O clube ainda está construindo um estádio de R$ 560 milhões.

Diante desta realidade bipolar, mais um elemento incômodo, incompreensível.

A recusa do clube em pagar R$ 500 mil ao Avaí, da compra do lateral Guga. Negociação feita em 2018, por R$ 8 milhões.

Desde dezembro de 2019, há a cobrança.

O clube catarinense vive uma realidade bem diferente do clube mineiro.

Em 2016, devia R$ 80 milhões. 

A dívida atual é cerca de R$ 53 milhões.

Segue a rara filosofia no futebol brasileiro, de pagar 25% do que arrecada, a cada mês. 

Sem patrocinadores bilionarios, o clube não conseguiu se segurar na Série A.

Por isso, a revolta do presidente do Avaí, Francisco Battistotti, ao não receber os R$ 500 mil por Guga, do Atlético.

Guga, contratado em 2018. Avaí cobra, desde dezembro, R$ 500 mil

Guga, contratado em 2018. Avaí cobra, desde dezembro, R$ 500 mil

Atlético Mineiro

Por ver os gastos do rival.

"Tem time que está me devendo e está contratando, mas não me paga. Não irei ter essa irresponsabilidade de contratar se eu não tenho condições de pagar. É o Atlético Mineiro", disse Battistotti ontem, à rádio CBN.

Incrível foi a resposta do presidente atleticano.

"O Atlético tem realmente um valor residual a pagar da compra do Guga. É um valor considerado baixo e muitas vezes inferior aos R$ 2,7 milhões que existem de pedidos de bloqueio do Avaí aqui no Atlético"

"O doutor Battistotti deveria olhar pro próprio umbigo, pagar as dívidas dele, que não são poucas e são muito mais elevadas do que esse valor que nós temos que pagar a ele, que aliás não será pago a ele diretamente.

"Será depositado em um desses vários processos judiciais que existem contra o Avaí, com pedido de bloqueio aqui, para tentar diminuir um pouco o endividamento do tão combalido clube que ele preside, pelo visto muito mal."

A postura do presidente Sette Câmara é inacreditável.

Só é possível com a conivência da CBF...

Napoli para Juventus e conquista Copa Itália na volta do futebol

Últimas