Cosme Rímoli Nova acusação sexual a Neymar. Constrangimento na Seleção

Nova acusação sexual a Neymar. Constrangimento na Seleção

Constrangimento na concentração da Seleção. Matéria do tradicional The Wall Street Journal afirma: Nike não renovou contrato com Neymar por acusação de agressão sexual a uma funcionária

  • Cosme Rímoli | Do R7

São Paulo, Brasil

Neymar, Teresópolis, Seleção Brasileira.

Acusação sexual.

Depois de dois anos, a situação se repete.

O jornal norte-americano,The Wall Street Journal publicou hoje uma matéria que revelaria o verdadeiro motivo de a Nike ter rompido com Neymar, em 2020. 

Uma funcionária teria revelado que o jogador brasileiro teria tentado forçá-la a fazer sexo oral, em Nova York, em 2016. E, em 2018, em uma campanha interna da empresa contra agressões sexuais, ela teria revelado o que teria acontecido dois anos atrás.

Neymar, embriagado, teria tentado forçá-la a fazer sexo oral no seu quarto. Diante da negativa, ele ainda a teria perseguido pelo corredor do hotel, onde estava hospedado.

Essa funcionária ajudava a coordenar eventos para a Nike e estava trabalhando ajudando Neymar, que se encontrou o ex-jogadore de basquete Michael Jordan, para uma campanha publicitária.

Os dois fizeram a publicidade no Citi Field, estádio de beisebol de Nova York.

Neymar e Michael Jordan divulgaram tênis juntos, em Nova York

Neymar e Michael Jordan divulgaram tênis juntos, em Nova York

Divulgação/Nike

A situação teria ocorrido na madrugada de 2 de junho de 2016. Ela teria ido com Neymar e outros empregados da Nike para a boate Up & Down, dançar. E, depois da meia-noite, funcionários do hotel pediram que ela e outro colega da Nike ajudassem a Neymar a subir para seu quarto, porque estaria embriagado. 

Depois de o ajudarem, seu colega saiu primeiro do quarto. Foi quando o jogador brasileiro teria, de acordo com o jornal norte-americano, tirado a cueca e teria tentado forçá-la a fazer sexo oral.

Diante da negativa, Neymar ainda teria tentado impedi-la de sair do quarto. Mas ela teria escapado e Neymar a perseguido, nu, pelo corredor do hotel.

A situação é séria. Porque o tradicional The Wall Street Journal revela que a Nike contratou advogados da Cooley LLP para conduzir uma investigação a partir de 2019 e decidiu deixar de usar Neymar no marketing. O brasileiro teria se recusado a falar nesta investigação. O que só teria piorado a situação.

Tanto que a Nike não quis seguir patrocinando o atleta a partir de 2020.

A matéria do jornal norte-americano já ganhou repercussão no mundo

A matéria do jornal norte-americano já ganhou repercussão no mundo

Reprodução/The Wall Street Journal

"A Nike encerrou seu relacionamento com o atleta porque ele se recusou a cooperar na investigação, após alegações de irregularidades apresentadas por uma funcionária", disse Hilary Krane, conselheira-geral da Nike, ao jornal.

A assessoria de Neymar nega as acusações. "Neymar Jr. se defenderá contra esses ataques infundados caso alguma denúncia seja apresentada, o que não aconteceu até agora." E enfatiza que a separação foi por motivos comerciais.

"É muito estranho um caso que deveria ter acontecido em 2016, com denúncias de um funcionário da Nike, só vir à tona neste momento", alega a assessoria.

A verdade é que a justiça deve determinar se houve ou não tentativa de agressão sexual por parte de Neymar.

Mas outra vez, o melhor jogador de futebol do Brasil se envolve em um escândalo mundial. Envolvendo uma acusação sexual. Em junho de 2019, foi a modelo Najila Trindade, que o acusou de estupro.

Ela foi para Paris bancada pelo jogador, que a conheceu na Internet. Neymar foi inocentado judicialmente depois de um ano e quatro meses.

Pela primeira vez na história, naquela ocasião, a Polícia Militar foi até a concentração da Seleção, procurar um jogador para depor. Vexame histórico.

Neymar chegou hoje, de helicóptero particular, para a concentração do Brasil.

É evidente que a acusação a Neymar afetará o clima no selecionado.

A notícia já está em todos os principais portais do país. 

Segue como a principal manchete do The Wall Street Journal.

Tite terá de administrar a situação. Em 2019, Neymar foi cortado às vésperas da Copa América no Brasil, por lesão no tornozelo, em amistoso contra o Catar.

Ele fará parte do torneio sul-americano.

Mas antes há as partidas pelas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa de 2022.

Na próxima sexta-feira, o Brasil enfrentará o Equador, em Porto Alegre. E na terça-feira, dia 8, jogará em Assunção, contra o Paraguai.

Sua convocação está mantida.

Neymar chegou hoje à concentração da Seleção. Horas depois, nova acusação sexual

Neymar chegou hoje à concentração da Seleção. Horas depois, nova acusação sexual

Lucas Figueiredo/CBF

A princípio, a postura de Tite, dos jogadores da direção da CBF é não se envolver na delicada questão. Apenas apoiar o jogador.

Vale lembrar que a Nike é patrocinadora da Seleção.

Neymar provoca novo constrangimento a Tite...

Neymar teve contrato rompido com Nike por suposto abuso sexual

Últimas