Cosme Rímoli Mudança surpreendente. Corinthians de Sylvinho vence e convence

Mudança surpreendente. Corinthians de Sylvinho vence e convence

O time não empolgou mas mostrou firmeza, intensidade. Venceu o Athletico Paranaense em plena Curitiba. 1 a 0, gol do versátil Roni. Corinthians muito mais consciente, sabe o que fazer no campo. Já é o sexto no Brasileiro

  • Cosme Rímoli | Do R7

Roni marcou o gol, contra o Athletico, que deixa firme a escalada do Corinthians no Brasileiro

Roni marcou o gol, contra o Athletico, que deixa firme a escalada do Corinthians no Brasileiro

Rodrigo Coca/Corinthians

São Paulo, Brasil

Sylvinho teve a chance de colocar o mesmo time pela terceira vez. De novo, a equipe teve o controle das ações, foi firme, não deu chance para o adversário. Conseguiu tocar a bola na frente, pressionar, construir suas jogadas, com mais clarividência, consciência.

E dos nove pontos, venceu sete.

A vitória contra o Athletico Paranaense, em Curitiba, por 1 a 0, gol de Roni, depois de cruzamento perfeito de Fábio Santos. Foi a primeira vez no Brasileiro que o time conseguiu duas vitórias seguidas, depois de 17 jogos. Algo que parecia impossível, principalmente pela instabilidade no início do campeonato.

O clube chegou ao sexto lugar.

Sem empolgar, mas com uma firmeza inesperada.

"Acredito muito que é um pouco de cada um, o trabalho coletivo que vem fazendo efeito. Nosso coletivo está dando certo, o time encaixou melhor. Sofremos um pouquinho no jogo, mas é normal, soubemos sofrer e saímos com a vitória. Importante é sair com os três pontos", reconhecia Roni, o autor do gol da vitória.

O versátil meio-campista admitiu a verdade. Não há grande destaque individual. A não ser duas peças diferenciadas, experientes e que fizeram o time como um todo jogar melhor.

Mas sem dúvida, as chegadas de Giuliano e Renato Augusto têm tudo a ver com essa recuperação surpreendente no Brasileiro.

O jogo não foi nada empolgante. Pelo contrário. Foi muito aborrecido de assistir. Porque tanto Sylvinho quanto Antônio Oliveira trataram de preencher as intermediárias. Inúmeras vezes na partida os dois times se espelhavam. Atuavam no 4-5-1. 

Principalmente no primeiro tempo enfadonho, com uma chance real de gol. Mas por puro acaso, Adson errou o cruzamento, aos 12 minutos, e a bola foi direta para o gol. Santos fez uma excelente defesa espalmando a bola para o travessão. Puro reflexo do goleiro campeão olímpico.

A proposta de Sylvinho foi colocada em prática. Ter o domínio das intermediárias

A proposta de Sylvinho foi colocada em prática. Ter o domínio das intermediárias

Athletico Paranaense

Mas mesmo com essa batalha nas intermediárias, o Corinthians teve o domínio do jogo. Trocando bola com eficiência até próximo da grande área atleticana. Giuliano, outra vez, mostrou sua consciência em ditar o ritmo, alternando troca de passes, com infiltrações, lançamentos. Com personalidade, ele conseguiu ser o jogador principal da partida, enquanto teve fôlego.

O Corinthians não pôde também usar sua grande arma ofensiva. Fagner logo sentiu dores na panturrilha direita e teve de ser substituído pelo volante Du Queiroz. O experiente lateral saiu aos 37 minutos, ainda do primeiro tempo.

O Athletico, que faz ótima campanha na Copa Sul-Americana, não mostrou a mesma vibração, mesma pegada que o levou à semifinal da competição internacional. Time mostrou apatia, agia mecanicamente, sem consistência para evitar o domínio corintiano.

No segundo tempo, o Athletico deu a falsa impressão que iria mudar o cenário. Nikão cruzou e Christian cabeceou na trave de Cássio. Mas logo a empolgação acabou. Foi só o Corinthians adiantar suas linhas. E na primeira jogada concatenada, trabalhada nos treinos, Fábio Santos levantou a bola para a entrada, de surpresa, de Roni. A cabeçada foi violenta e consciente. Sem chance para Santos. 

Corinthians 1 a 0.

O gol marcado aos nove minutos do segundo tempo transformou o jogo.

O Athletico queria reagir, buscava forçar um ritmo mais veloz, só que o Corinthians tratou de travar a partida. Já tinha a vantagem e diminuiu os espaço, tratou de se proteger mais. Controlando a bola longe de sua área. As laterais foram muito bem seguras, assim como a defesa estava preparada para bolas longas. Disputas de corpo com os atacantes do time paranaense.

Corinthians sempre teve vantagem numérica no meio-campo. Time melhor distribuído

Corinthians sempre teve vantagem numérica no meio-campo. Time melhor distribuído

Athletico

O 'sofrimento' destacado por Roni nem foi tanto assim. Pelo contrário. Ainda mais depois da entrada de Renato Augusto, aos 30 do segundo tempo. O jogador foi fundamental para ajudar o time paulista a controlar a partida, não deixar escapar os três pontos.

Sylvinho até colocou em campo Luan, para tentar dar confiança ao meia. Ele ajudou só a marcar na intermediária. Não era a partida ideal à volta do jogador ao time.

Aos 45 minutos, o veterano zagueiro Thiago Heleno deu uma entrada maldosa, com as travas da sua chuteira direita em Adson. Foi expulso, com justiça.

O Athletico tentou sem consciência, na base da sorte, levantar bolas na área.

O Corinthians se defendeu bem e venceu.

Sylvinho conseguiu.

Sem brilho, sem empolgação.

Com um futebol feio, mas competitivo.

Conseguiu três pontos na Arena da Baixada, contra o Athletico, o que não é nada fácil.

A confiança está chegando.

O Corinthians começa a ganhar confiança.

E subir no Brasileiro.

O que é surpreendente pelo elenco que possui.

Está aprendendo a vencer e convencer...

Golaço de Paquetá e CR7 abaixo: os destaques do futebol europeu

Últimas