Cosme Rímoli Menino de 9 anos que pegou a camisa de Jailson pede desculpa. E tem medo de voltar à Vila Belmiro

Menino de 9 anos que pegou a camisa de Jailson pede desculpa. E tem medo de voltar à Vila Belmiro

Gabigol lhe oferece uma camisa sua em solidariedade, e o Santos o leva para acompanhar um treinamento e ganhar camisas. Mas Bruno, de 9 anos, segue com medo de voltar à Vila Belmiro

  • Cosme Rímoli | Do R7

Bruno, 9 anos, xingado e ameaçado por pegar camisa de Jailson. Está com medo de voltar à Vila

Bruno, 9 anos, xingado e ameaçado por pegar camisa de Jailson. Está com medo de voltar à Vila

REPRODUÇÃO/INSTAGRAM

São Paulo, Brasil

"Oi, gente. Tudo bem? Desculpa se alguém se ofendeu porque eu peguei a camisa do Jailson. É que eu gosto muito dele, e também gosto do Weverton, que é da Seleção Brasileira. Eu não sou palmeirense, é que eu gosto muito do Jailson."

"Eu fui a todos os jogos de 2019, e agora estou tentando recuperar esse tempo em que não fui à Vila. Aí, eu não sou palmeirense, eu sou santista. Eu sempre apoiei muito o Santos, nos momentos mais difíceis."

"Sempre estive junto com o Santos. Me perdoa se alguém se ofendeu. Eu não quis pegar a camisa para ofender ninguém."

Uma insanidade.

E que demonstra como o ódio contaminou o futebol brasileiro. Bruno Nascimento, de apenas 9 anos, teve de ir às redes sociais se desculpar porque pediu e ganhou a camisa de Jailson, goleiro reserva do Palmeiras.

Bruno e seu pai, que são santistas, escaparam de apanhar na Vila Belmiro pelo gesto do menino, depois do clássico que o Palmeiras venceu por 2 a 0, no domingo.

Além de eles serem muito xingados por torcedores do próprio Santos, havia outros que queriam espancar o menino e tiveram de ser contidos, enquanto a polícia ajudava a dupla a sair do estádio.

Os dois até tentaram devolver a camisa a Jailson, com medo dos santistas.

Só que as ameaças continuaram nas redes sociais.

O menino estava apavorado.

E seu pai teve a ideia do pedido público de desculpa.

A diretoria santista convidou Bruninho para conhecer o clube. E ele ganhou camisa autografada por jogadores do time pelo qual torce.

No Rio de Janeiro, Gabigol se revoltou com a história.

E tomou uma atitude digna.

"Bruninho, vou lhe mandar minha camisa! Você pode torcer pra quem você quiser. O amor pelo futebol pode ser maior que qualquer rivalidade."

"Que essa inocência e esse amor puro das crianças sempre prevaleçam entre nós!!"

Mesmo assim, Bruno está com medo de voltar à Vila.

Este é o atual momento do futebol brasileiro...

Paulistão 2022: veja fotos do sorteio dos grupos do campeonato

Últimas