Cosme Rímoli Jemerson marca dois gols. E Timão espera por Palmeiras ou Bragantino

Jemerson marca dois gols. E Timão espera por Palmeiras ou Bragantino

O time de Mancini teve de se desdobrar, correr muito, lutar. E venceu a Inter de Limeira por 4 a 1. Está na semifinal do Paulista

  • Cosme Rímoli | Do R7

Zagueiro ou centroavante? Jemerson marcou dois gols e decidiu a partida

Zagueiro ou centroavante? Jemerson marcou dois gols e decidiu a partida

ALEX SILVA/ESTADÃO CONTEÚDO - 11/05/2021

São Paulo, Brasil

O Corinthians sofreu, se desgastou mais do que esperava, teve de lutar muito, mas conseguiu chegar à semifinal do Campeonato Paulista.

Com direito a dois gols de Jemerson, que marcou recebendo duas sobras de bola. Mostrou técnica e sangue frio, diante do goleiro Jefferson Paulino.

Os gols trazem ainda mais destaque para ótimo zagueiro que tem contrato até junho. E sofre o assédio aberto do Atlético Mineiro.

A vitória em Itaquera sobre a Internacional de Limeira, por 4 a 1, se deveu à estratégia, mas também à muita raça dos corintianos, que tiveram de superar a total dedicação da bem montada equipe de Thiago Carpini. Além de Jemerson, Fagner e Raul marcaram. Thalisson descontou para o time interiorano.

O placar foi elástico demais.

O resultado faz com que o time de Vagner Mancini espere o vencedor de Red Bull Bragantino e Palmeiras. Em Itaquera também. Basta que a lógica prevaleça e o São Paulo, franco favorito, vença a Ferroviária, sexta-feira, no Morumbi.

Caso o São Paulo perca, aí o Corinthians passará a ter a melhor campanha no Paulista e enfrentará o vencedor de Guarani e Mirassol. 

A Inter de Limeira estava há 14 anos longe da Primeira Divisão do Paulista. E, no segundo ano na elite, conseguiu fazer uma campanha muito digna, com poucos recursos.

O clássico contra o São Paulo foi revolucionário para Vagner Mancini. Ao ter até o cargo ameaçado, ele decidiu espelhar seu time com o de Hernán Crespo. E optou por três zagueiros. Foi quanto colocou João Victor, Jemerson e Raul. Jogadores leves, com habilidade suficiente para saírem jogando, velocidade nas coberturas e ótimos pelo alto.

O treinador apostou alto ao descartar o experiente e líder do grupo, Gil. E acertou em cheio. O Corinthians se mostrou mais ágil na saída de bola, mais ofensivo, pela liberação de Fagner e Píton/Fábio Santos. E também mais protegido por conta da recomposição dos zagueiros.

Fagner marcou o primeiro gol. Completou 400 partidas pelo Corinthians

Fagner marcou o primeiro gol. Completou 400 partidas pelo Corinthians

Rodrigo Coca/Corinthians

Mancini sabe que a oportunidade de conquistar um título em 2021, pelo limitado elenco que o Corinthians possui, é no Paulista.

E por isso tratou de colocar seu melhor time hoje, mesmo sabendo que jogará a 'vida' na Sul-Americana, quinta-feira, em Montevidéu, contra o Peñarol.

A Internacional de Limeira tratou de apostar no ótimo preparo físico e na disposição tática. Começou no 4-5-1, buscando tirar o oxigênio, não dando espaço para o Corinthians. 

Não havia outra saída para o Corinthians a não ser correr muito, usar as laterais do campo, buscar triangulações. Fagner e Piton atuavam como ponteiros. Luan, que finalmente saiu da letargia que o dominava, passou a jogar com vibração, inteligência, servindo o ataque. Apesar de enorme dedicação, Otero destoava tecnicamente. O que sacrificava Cauê, tendo de lutar entre os zagueiros.

Marcando a saída de bola da Internacional desde o início do jogo, o precoce primeiro gol do Corinthians deu a falsa impressão de partida fácil. Lucas Piton triangulou com Luan e cruzou. Fagner, que chegava a 400 jogos pelo Corinthians, chegou como um raio. Não bateu bem na bola, mas o suficiente para tocá-la longe de Jefferson Paulino.

Jemerson. Jogador fundamental. Que o Atlético Mineiro tenta 'tomar' do Corinthians

Jemerson. Jogador fundamental. Que o Atlético Mineiro tenta 'tomar' do Corinthians

Rodrigo Coca/Corinthians

Corinthians 1 a 0, aos nove minutos.

O primeiro tempo seguiu muito disputado nas intermediárias. A Internacional seguiu fielmente a sua disposição de marcar e contragolpear raramente, mas em bloco. O time de Mancini queria marcar o segundo para diminuir o ritmo do jogo eliminatório, correu muito. E não conseguiu.

Na etapa final, Carpini soltou seu time. Buscou a última surpresa possível. E adiantou sua marcação, pressionando o Corinthians. O que provocou ainda mais desgaste. O jogo ficou equilibrado, pela disposição interiorana.

Mas, aos 13 minutos, Jemerson mostrou sua familiaridade com o ataque. Ele se aproveitou da demora da zaga da Inter para provocar o impedimento, e desfrutou ótima assistência de cabeça de Luan. 2 a 0, Corinthians.

Quando o time de Mancini acreditou que iria respirar, Rondinelly desceu pela esquerda e acertou cruzamento rasante. Thalisson Kelven desviou para as redes de Cássio. Gol aos 17 minutos. 2 a 1.

A Inter foi de vez para o ataque. Em bloco. Com marcação alta. O que se viu foi muita correria. A partida estava indefinida, com o Corinthians contragolpeando. Até que, aos 32 minutos, Fagner cobrou escanteio, João Victor serviu de cabeça para Jemerson, de novo, dominar a bola e estufar as redes. 3 a 1, jogo finalmente decidido.

Os jogadores da Inter sabiam que estavam eliminados.

Raul marcou. Zaga artilheira do Corinthians. Golpe de misericórdia na Internacional

Raul marcou. Zaga artilheira do Corinthians. Golpe de misericórdia na Internacional

Rodrigo Coca/Agência Corinthians

E aos 47 minutos, o golpe de misericórdia. Mateus Vital cruzou na cabeça de Raul, que teve outra ótima atuação, e bola no fundo do gol.

4 a 1, Corinthians.

Placar exagerado, mas importante.

Agora, se prevalecer a lógica, o time enfrentará o Red Bull Bragantino ou o Palmeiras pela semifinal do Paulista. 

Antes, há a decisão no Uruguai, na quinta-feira.

Mas hoje, a missão do Corinthians foi cumprida...

Adriano não se arrepende de sua trajetória: 'Desisti de milhões'

Últimas