Cosme Rímoli James Rodríguez não se conforma com a reserva. Quer sair do São Paulo. Presidente Casares tenta contornar a situação

James Rodríguez não se conforma com a reserva. Quer sair do São Paulo. Presidente Casares tenta contornar a situação

O midiático meia colombiano de 32 anos esperava ser titular com a ida de Dorival Junior para a Seleção Brasileira. Mas sua situação piorou com a contratação de Carpini. Impasse no São Paulo. Casares busca evitar saída

  • Cosme Rímoli | Do R7

James Rodriguez está insatisfeito no São Paulo. Esperava ser uma grande estrela do time. É mero reserva

James Rodriguez está insatisfeito no São Paulo. Esperava ser uma grande estrela do time. É mero reserva

MARCELLO ZAMBRANA/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/ESTADÃO CONTEÚDO - 19/08/2023

São Paulo, Brasil

Pablo Maia, Alisson e Wellington Rato.

Esse é o meio-campo ágil, participativo, vibrante, que Dorival Junior deixou como herança para Tiago Carpini.

Com velocidade, marcação forte, compactação, modernidade.

Para que Lucas e Luciano possam abrir as defesas adversárias, com a cumplicidade dos laterais Igor Vinicius (ou Rafinha) e Guilherme.

Para Calleri concluir.

Ainda haverá espaço para o versátil, hábil, veloz e artilheiro Galoppo.

E para Ferreirinha mostrar a que veio, tão valorizado, do Grêmio.

Ou seja, Carpini está muito bem servido, para a maneira competitiva, intensa, como enxerga futebol. 

Que o fez ser vice-campeão paulista com o Água Santa e classificar o Juventude para a Série A, no segundo semestre do ano passado.

Dentro deste quadro não há espaço para um atleta que exija privilégios no meio-campo.

Que não participe pela luta pela bola, que só se preocupe em exibir sua técnica, com lançamentos, chutes da intermediária ao gol, que se contente em bater faltas próximas à área.

Assim como acontecia com Dorival.

Por isso, o midiático James Rodríguez está se tornando um caso sério no Morumbi.

Atleta que foi contratado com todo orgulho pelo presidente Julio Casares, sem perguntar a ninguém se ele serviria ou não, o colombiano não é visto como titular por Tiago Carpini.

E isso era absolutamente inesperado pelo atleta de 32 anos.

Ele acreditou que seus problemas haviam acabado com a ida de Dorival Junior para a Seleção Brasileira.

Só que Carpini é ainda mais exigente com seus jogadores no meio-campo do que era o ex-técnico são paulino.

James Rodríguez, que fez uma excepcional Copa do Mundo pela Colômbia, há dez anos.

Desde então, sua carreira entrou em descendente.

Ele, que surgiu muito bem no Porto, atuou de forma empolgante no Monaco, foi enorme desilusão no Real Madrid. Pior ainda no Bayern, no Everton.

Se mostrou desinteressado no Al-Rayyan, do Catar. E no Olympiacos, da Grécia.

Chegou ao São Paulo com enorme empolgação de Casares, e da torcida.

Mas nas 14 partidas que entrou em campo, marcou um gol apenas.

E deu três assistências.

Virou 'reserva de luxo' em 2023.

Esperava ser titular este ano.

Mas percebeu que a situação tem tudo para se repetir.

Ou até piorar com Carpini.

E está insatisfeito.

Apesar de ter treinado, não estar contundido, não foi nem inscrito no Paulista.

O colombiano tem mercado no Exterior.

Seu nome ainda é muito forte.

A diretoria, principalmente Casares, tenta contornar a situação.

Mas está difícil.

Carpini, como Dorival, não irá prejudicar a competitividade do São Paulo para agradar James Rodríguez.

A situação caminha para um impasse.

Não há certeza da permanência do jogador midiático...

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas