Cosme Rímoli Incoerência: Há um ano, CBF usou a Covid para desistir do Mundial Feminino

Incoerência: Há um ano, CBF usou a Covid para desistir do Mundial Feminino

Há um ano, CBF retirava a candidatura do Brasil da Copa do Mundo de 2023. Eram 37 mil mortos pela pandemia. Agora, com mais de 465 mil, trouxe a Copa América

  • Cosme Rímoli | Do R7

A CBF usou a Covid-19 para desistir do Mundial Feminino. Agora, que venha a Copa América

A CBF usou a Covid-19 para desistir do Mundial Feminino. Agora, que venha a Copa América

Lucas Figueiredo/CBF

São Paulo, Brasil

Meu amigo, o brilhante jornalista Marcos Paulo Lima, fez questão de destacar hoje no Correio Braziliense, uma situação que fugiu à memória de muitos.

No dia 8 de junho de 2020, a mesma CBF que se ofereceu, fez de tudo para sediar a Copa América, mandou uma singela carta para a Fifa.

"(...)O Governo Federal, por sua vez, elaborou para a FIFA uma carta de apoio institucional na qual garantiu que o país está absolutamente apto a receber o evento do ponto de vista estrutural, como já o fez em situações anteriores. No entanto, ressaltou que, por conta do cenário de austeridade econômica e fiscal, fomentado pelos impactos da pandemia da Covid-19, não seria recomendável, neste momento, a assinatura das garantias solicitadas pela FIFA.

"Diante do momento excepcional vivido pelo país e pelo mundo, a CBF compreende a posição de cautela do Governo brasileiro, e de outros parceiros públicos e privados, que os impediu de formalizar os compromissos no prazo ou na forma exigidos."

E a Fifa, que escolheria a sede da Copa do Mundo Feminina de Futebol, de 2023, virou as costas ao Brasil.

Para desilusão das jogadores, dirigentes e emissoras de tevê, que se dobram diante do crescimento da participação de mulheres no futebol.

A prudência da CBF em relação à Covid-19 mereceu palmas.

O Brasil, àquela altura, tinha 37.134 mortos.

Um ano depois, com mais de 465 brasileiros que perderam a vida por conta da pandemia, a CBF insiste e consegue sediar a Copa América.

Mesmo com o contágio diário de 31 mil pessoas neste país.

E aceitando nove delegações, com jogadores que passaram por países com início de novas cepas do vírus. Como, por exemplo, a Argentina. A cepa da Índia está muito mais difundida que no Brasil.

A incoerência da CBF é assustadora.

O que foi excelente para a Conmebol.

Ela não cancelou a competição e receberá o dinheiro da transmissão dos jogos, que negociou para mais de cem países.

Para a CBF, a realização da competição é uma demonstração de força, de poder do presidente Rogério Caboclo. Ele tenta calar a oposição que buscava argumentos para tentar tirá-lo do cargo.

E o país promove a Copa América.

Competição que as populações da Colômbia e da Argentina rejeitaram.

Triste país que se dobra à incoerência da CBF...

Aguero deu relógios e sorteou carro a funcionários do Manchester City

Últimas